domingo, 31 de janeiro de 2010

Panorama Bar

Ontem à noite, estacionei o carro mesmo em frente à minha primeira morada lisboeta (saudade...) e fui pela primeira vez ao Panorama Bar, no último piso no Sheraton. Já me tinham dito que era muito giro, e de facto é mesmo. Só tive pena de não termos mesa junto à janela, pois a vista é fantástica. Pena também de não estar ninguém no lindíssimo piano transparente (a tocar Debussy... ou talvez não :P). Os preços obviamente que estão ao nível do lugar, mas gostei bastante do meu Avelã Baileys (que foi mais caro que o jantar! lol) e do Irish coffe que não resisti a provar.

Em resumo, e como diria o responsável pela visita, "um sitio para levar alguém que se quer impressionar"...

... (mas lá está... é a mim que têm de impressionar... lololol)

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

domingo, 24 de janeiro de 2010

Sunshine

Sim. Já não temo. Não sei que boatos correm por lá, mas já o sentia antes. Foi algo repentino e inexplicável pela rapidez com que tudo mudou de um dia para o outro. Mas de facto sinto-me diferente. Sinto-me outra pessoa. Não. Sinto-me "eu"... essa pessoa que eu já não sentia há muito tempo.

O ferimento sarou completamente e já nem consigo perceber onde foi. A cicatriz tornou-se tão ténue que perdeu a importância. Já não sinto falta de coisas anteriormente sentidas como imprescindíveis. Olho para trás com um sorriso indiferente. É mesmo verdade... no final tudo se resolve. Desta vez vou guardar a espada. Já não preciso dela. A partir daqui começa a verdadeira saga... aquela que merece ser vivida.

Novamente dentro de casa inspiro fundo. Fecho os olhos e sinto o silêncio.

E agora?

Acção-Reacção

Em que é que nos baseamos para concluir algo acerca do pensamento dos outros? É que nem sempre o vector acção-reacção converge para o mesmo sentido. Por isso, às vezes, estamos sujeitos a surpresas resultantes de más interpretações. Onde é que aprendemos essas noções? São mensagens subliminares transmitidas pelos nossos pais enquanto nos educam? São coisas que vemos na televisão, nas novelas, nos filmes? São coisas que vemos acontecer na vida de alguém nosso conhecido? São coisas que os nossos amigos nos "ensinam"?

Aquilo que nos parece lógico pode, de facto, estar muito longe da realidade. Aliás, a nossa própria noção de "lógica" vai variando com o tempo, com a idade, com as experiências. O que achávamos inapropriado, impossível ou sem sentido quando tinhamos 15 anos, se calhar passou a ser banal aos 30.

Quantas vezes agimos de uma maneira pensando que é desse modo que vamos obter um determinado efeito? Quantas vezes deixamos de dizer ou fazer qualquer coisa, para evitar uma reacção desagradável? E afinal, se calhar, se o tivessemos feito ou dito, o resultado final seria bastante diferente daquele que nós imaginámos. Ou pelo menos também não perdiamos nada... Mas isso nunca saberemos...

Qualquer dia perco a vergonha toda...

sábado, 16 de janeiro de 2010

Profecia

Num futuro próximo ou distante, não interessa, quando tudo for asséptico e controlado, quando o silêncio for puro e todos os sons que o interrompam forem em stereo e acompanhados de imagens a 3D flutuantes no ar... os nossos sonhos serão monitorizados para que deixemos de sentir tudo o que nos desagrada...

Tudo será ainda mais fútil e efémero...

video

domingo, 10 de janeiro de 2010

Vampiros

Já toda a gente sabe que quando uma fórmula começa a dar dinheiro, aparecem logo 2 ou 3 imitações. No mundo do cinema isso é flagrante (veja-se a moda das sequelas "à força") e na televisão basta lembrarmo-nos dos sucessivos reality shows, programas para encontrar novos cantores, ou novelas. Se a SIC tem o "Ídolos", a RTP1 tem o "Operação triunfo". Se a TVI tem o "Morangos com açúcar", a SIC tem o "Rebelde way"...

Já não há pachorra para esta febre dos vampiros. Admito que nos meus tempos de teenager gostava de ver a Buffy (até espremerem tanto a fonte que começou a descambar...), mas o sucesso da fórmula Twilight pôs toda a gente a adorar estas figuras de dentes afiados e as miudinhas a sonharem com um príncipe vampiro que as morda durante a noite. Ok, gostos são gostos... mas não exagerem!

Aqui há uns tempos estava a fazer zapping e vi o anúncio de estreia de uma nova série portuguesa da SIC sobre... vampiros! Mas outra coisa não seria de esperar... obviamente que a nossa televisão não ia deixar passar esta oportunidade de explorar o filão vampiresco. Só pude lamentar, revirar os olhos e mudar de canal. Ontem, liguei a tv, e não é que estava a dar outra série de vampiros (estrangeira) na RTP1? Há pouco, num novo zapping, dou por mim na TVI a assistir a outro anúncio de estreia, de outra série portuguesa sobre... vampiros!!

Pleaaaaase! Give me a break!!! Será que sou só eu a achar que o que é demais, enjoa?

P.S: E não é que quando eu acabei de publicar este post apareceu-me o seguinte anúncio no blogger: "Queres ser Vampiro? Será que tens o que é preciso? Vê o teu Potencial e Poder 4e/s! SouVampiro.com/crepusculo"... AAAAGGGHHHHH!!!!!

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

6 meses depois...


E não é que a sacana da taróloga tinha mesmo razão?!...

... em tudo!!!


E porque é que eu não lhe dei ouvidos??...

... xxxxtúpida!!!

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Duas faces da mesma moeda

Uma coisa que me chateia muito é este meu feitio de achar que devo esperar dos outros aquilo que eu lhes ofereço. Obviamente que só tenho tido desilusões. Aquela história do "amor com amor se paga" ("amor" no sentido lato, claro) é irreal. Já desisti de esperar reconhecimento, agradecimento ou o "simples" respeito daqueles a quem eu dou algo de mim (nem que seja o tal "simples" respeito). Pior mesmo é quando o pobre se torna mal agradecido. A injustiça é algo que me tira do sério, e isto de se ter a fama sem se ter o proveito dá-me náuseas. Mas lá está... pessoas que exigem o braço quando lhes damos a mão, não interessam a ninguém. E cada vez conheço mais gente dessa... é incrível como são tantos.

Hoje, dei comigo a pensar no reverso da medalha. Aqueles que, por serem peritos em agir com maldade, acham que todas as atitudes praticadas pelos outros também são, ou têm o potencial de ser, maldosas. Isto funciona tanto para aqueles que adoram dividir para reinar, como para os outros que, mentirosos, traidores ou falsos compulsivos, não confiam em ninguém. E engane-se aquele que acha que pode esclarecer a situação. Eles não vão acreditar... é que eles sabem que, tal como eles, há muita gentinha desse género por aí... Não são parvos, os meninos... Vendo bem as coisas, eles são é muito espertos...

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Casinôôô

Para começar bem o ano, fui no outro dia (noite), e pela primeira vez, ao Casino de Lisboa. O café logo à entrada está muito giro (aquele sistema em andares com rotação torna-o bastante agradável) e os preços nem são nada por aí além. Os cafés são servidos em copos de pé alto, e o chocolate quente não é nada mau. Pelos vistos também costumam fazer algum tipo de animação na plataforma superior, apesar de eu não ter assistido (pode ser que da próxima vez tenha oportunidade). A música ambiente esteve sempre muito boa (com a vantagem de aparecer a sua identificação nos vários ecrãs em torno do café, o que me permitiu ficar a conhecer umas musiquinhas bem porreiras). Daqui, nota 20.

Entrando no casino propriamente dito... fiquei de facto desapontada. Esperava mais requinte... mais glamour... mas afinal é apenas o salão de jogos da tasca da esquina, versão 3 andares. Slot machines aos pontapés, com temas para todos os gostos. É a maneira mais rápida, mais estúpida e sem graça de perder dinheiro. Depois há as mesas. Poker, Blackjack... e a roleta russa. A roleta sim senhor, tem a sua piada. Sempre se ganha qualquer coisa (para quem pára de jogar no momento certo) e dá para estar ali um bom tempinho na risada (para quem joga a feijões, claro). Foi bastante divertido, e até acertei num número (quererá dizer algo?...)!

Voltarei lá certamente... mas não é de todo um casino que o Ocean assaltaria... :P

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

2010

Há 9 anos que não fazia uma passagem de ano na rua. E apesar da chuva que teimou em aparecer de vez em quando, da lama e do frio, conseguimos ver o fogo de artifício, ouvir a música das pulgas e dos bichos do mato e brindar à despedida de 2009 e a um excelente 2010.

Nada melhor que uma data para fazer uma "limpeza" nos nossos objectivos e tomar decisões. Now is the time...