quarta-feira, 29 de julho de 2009

Pensamento do dia V


"A sopa feita hoje sabe melhor amanhã. Mas se passar uma semana ganha bolor..."

Daqui se tiram muitas ilações...

terça-feira, 28 de julho de 2009

Cinema português "dobrado"

Estive ontem a ver o filme "Arte de roubar", o qual, já na altura em que estreou, me tinha aguçado a curiosidade. Não sou grande fã da representação que se faz por terras lusas, e conto mesmo pelos dedos o número de actores dignos desse nome. Aliás, tendo em conta que hoje em dia qualquer um é "actor" (e que implica também ser cantor e modelo, numa explosão de talento que, de repente, toda a gente parece ter), é cada vez mais difícil ter a representação como sinónimo de arte. Mas a geração "Morangos com açúcar" há-de acabar um dia... ou não...

Mas falando do filme... Digamos que se pode chamar de uma espécie de Tarantino/Rodriguez meets Guy Ritchie. Para "aprendiz de feiticeiro", não está mau, não senhor. Gostei. Ou melhor, não fugiu muito das expectativas. Achei piada ao facto de ser falado em inglês, o que ao princípio é estranho, principalmente por se notar um certo cuidado na dicção, tornando-se bastante perceptível sem legendas, coisa que muitas vezes não se consegue com os "americanos de gema" (excepção óbvia para a brasileirinha Daniella Faria...). Destaco a representação de Ivo Canelas e, meninos, a Soraia Chaves também entra! (mas se estão à espera do "Padreco II" vão ter uma grande desilusão...).

Resumindo, é um filme divertido, que gira em torno das peripécias de 2 ladrões azarados que se deviam dedicar a outra carreira, peripécias essas que, não sendo muito esmiuçadas, vão surgindo e terminando sem muitos rodeios. Ah, e gostei da moral da história: "nunca deixes uma criança a brincar sem supervisão"... ;)

Achado musical II

video

Há um ano atrás alguém me disse que provavelmente eu devia gostar de Nouvelle Vague. Hoje descobri que esta música, que eu ouvi pela 1ª vez no verão passado, é deles... Aqui fica.

domingo, 26 de julho de 2009

Sadismo

Estou aqui a ver o "Gladiador" e, realmente, a natureza humana é imutável. Está e sempre esteve intrínseco em nós aquele gosto sádico de ver destruição, violência, sangue... mesmo que sejam consequência de situações que ocorrem sem ser por nossa vontade ou sem que sejamos os seus causadores.

Antigamente eram as matanças de escravos que enchiam os coliseus. Era o entretenimento do povo. O espectáculo que unia os ricos e os pobres. Com a evolução, o ser humano foi substituído pelo "bicho"... ou touros, os galos, os cães... A violência é a mesma.

Ontem quando vinha da praia houve um acidente à saida da ponte. Percebi que foi algo "em grande" pelo número de ambulâncias, carros da polícia e bombeiros. De resto, notou-se claramente o trânsito que se gerou nas faixas em sentido contrário (e não tanto pelo número de pessoas que vinha da praia). O gostinho de ver os "estragos"... os carros esmigalhados... e "com sorte" até algum bracinho ou alguma perninha perdida na faixa de rodagem...

Não há muito a dizer... é um facto... é algo que está presente em nós. A curiosidade mórbida. Nem que seja apenas para, em seguida, ser substituída por nojo, ou por pele de galinha... nem que seja para ter pesadelos... não interessa. É algo que não vai mudar nunca.

O animal irracional mata para comer ou para se defender. O animal racional, mata também por prazer...

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Cromos ao volante IV

Estou eu a estrear uma das cadeiras que comprei para pôr na varanda (por falar nisso, está-se mesmo bem aqui :P), eis senão quando, oiço o barulho de um carro (suficientemente exagerado para me ter chamado a atenção). Era alguém que estava a estacionar. Aqui fica a foto...

P.S.: Sim, era mulher... mas coitada... tinha pouco espaço!

Pensamento do dia IV



"Mais vale parecê-lo que sê-lo..."

Infelizmente é assim...

terça-feira, 14 de julho de 2009

FÉÉÉÉÉÉRIAAAAAAAS!!!!!

video

Ok, ainda não é oficial, mas pelo menos psicologicamente já estou de FÉÉÉÉÉRIAAAAAAS!!!!

E são 17 dias para fazer muita coisa:

  • Praia (MUITA! E com tudo a que tenho direito: música ambiente, sandes de atum, sumo de morango e o belo do petit gateau de chocolate... ou qualquer uma das outras sobremesas, porque eu não sou esquisita ;P)

  • Voltar URGENTEMENTE ao ginásio (para ganhar a elegância que a minha mãe fez o favor de boicotar durante a sua estadia prolongada chez moi...)

  • Comprar vestidos (sim sim.. devo mesmo encontrar S's nesta altura do campeonato...)

  • Ouvir o monte de CD's que tenho em lista de espera e actualizar o meu leitor de mp3 (acho que o facto de ultimamente estar sempre a carregar no "Next" quer dizer alguma coisa)

  • Ver a 5ª série completa do "Lost" e vários filmes que estão ameaçadoramente a esgotar o limite de capacidade da minha Zon box

  • Arrumar o escritório (sujeito a más condições meteorológicas que me obriguem a ficar em casa)

  • Ganhar coragem para pegar na guitarra e conseguir voltar a tocar as músicas do Albeniz (difícil, este ponto... acho que... não vou ter... tempo... :P)

...e ...o mais importante...

  • VOLTAR A TER VIDA SOCIAL!!! (Amigos, a minha agenda está livre... comecem já a fazer marcações! :P)

sábado, 11 de julho de 2009

Dentes... essa dor de... cabeça!

Durante a "bela" fase da adolescência, usei aparelho fixo durante 3 anos. Acho que inicialmente nenhum dos meus dentes devia estar no sítio correcto, por isso o resultado final até foi bastante bom. No entanto, há pouco tempo fui a uma consulta de rotina no dentista e descobriram que a minha articulação temporo-maxilar está mais desgastada de um dos lados, e que por isso devia usar aparelho... outra vez! Parece que este diagnóstico está muito em voga, pois de repente fiquei a saber de mais uma mão cheia de amigos e conhecidos a quem lhes foi dito o mesmo...

Até aqui, se eventualmente me tinha passado pela cabeça alguma vez na minha vida voltar a usar aparelho, seria apenas para endireitar o dentinho maroto cá da frente. De qualquer modo, tal ideia (se é que existiu alguma vez) não terá durado mais de 0,1 segundos no meu pensamento. Sim, detestei a experiência.

Ok, já se passaram 16 anos, a tecnologia evoluiu... mas então porque é que me deram uma média de 2 anos para ficar a 100%??? "Ah e tal, para endireitar os dentes da frente é rápido... mas para endireitar os molares por causa da articulação, são 2 anos...". DOIS ANOS??? Antes arranca-los todos e pôr uma prótese!!

Bem, não sei se é por entretanto estar a ver cada vez mais pessoas com os malditos brackets a enfeitarem a boca, não sei se é porque hoje estou a aproveitar toda e qualquer desculpa para me distrair, mas neste momento a ideia até não me parece assim tão má (amanhã talvez já não...). O meu plano é pedir uma segunda opinião, mas pelo que pesquisei na net, parece que os 2 anos são a regra (senão ficava muito barato... lol). Descobri que agora há uns brackets mais pequenos e eficazes (com resultado mais rápido!), descobri que se podem pôr os brackets na face posterior dos dentes e descobri que há uns aparelhos invisíveis cuja desvantagem é que têm de se tirar para comer ou escovar os dentes (mas pelo menos não ficam cheios de comida agarrada (blegh) nem magoam os lábios e as bochechas). O problema destes novos aparelhos é que ficamos com uma boca bonita mas cegos, porque somos obrigados a dar os olhos da cara para os pagar...

Estou indecisa... Ponho ou não ponho? Dois anos é muito tempo... :(

Porque raio tive de herdar os dentinhos tortos do meu pai?? Aghhh...

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Paparoca e previsões...

Esta semana fui convidada para um jantar no Jardim dos Sentidos. Nunca lá tinha ido, mas o facto de ser um restaurante vegetariano suscitou-me a curiosidade, uma vez que já há uns bons anos que não saboreava uma boa comida vegetariana, macrobiotica ou afins (basicamente desde que deixei de ter cartão de estudante para poder ir à cantina universitária de entrecampos, onde antigamente a comida era DIVINAL). Primeiro desafio superado (arranjar lugar para o carro) lá me encontrei com o grupo. Praticamente só conhecia uma pessoa, mas acabou por ser muito agradável. O restaurante em si tem um ambiente engraçado, e realmente a comida (e bebida) é muito boa e a preços bastante acessíveis. Já tinha saudades de comer uns bifinhos de seitan como deve ser...

Segundo aquilo que me tinham dito, iria haver algumas surpresas... e eu como a nível de curiosidade sou meio gata, andei a vasculhar o site à procura de pistas. De entre as massagens e tratamentos, a minha maior suspeita foi mesmo para o campo da astrologia (sim, não estava a ver obrigarem o pessoal a despir-se para fazer massagens... infelizmente... lol). E acertei. Tivemos direito a uma mini-leitura de tarot e acabou por ser muito engraçado. A grande maioria não foi (por medo do que poderiam ouvir!). Eu fui. Sem medos. Até porque, além de achar piada a essas coisas, a probabilidade de uma dessas previsões acertar ou errar é sempre 50%. Nunca tinha experimentado uma coisa dessas (sem ser o básico do horóscopo semanal... lol), e tenho de admitir que gostei. Tive direito a fazer uma pergunta (que obrigatoriamente tinha de ser algo muito concreto) e a pedir uma mensagem dos anjos (ou lá como se diz) a partir de um baralho de cartas diferente. Ouvi coisas más e coisas boas (não vos vou dizer o quê :P), mas obviamente que o panorama geral tem sempre potencial para ser alterado consoante os nossos desejos e reacções (o que é bom, porque assim acerta-se sempre na previsão, seja para um lado ou para o outro... lol). Mas gostei da taróloga (pelo menos não soou a charlatanice e foi divertido).

Pode ser que da próxima vez que lá for seja para um jantar zen... Aceito convites!!! :D

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Brilho fosco

Um calor... e de repente o frio... uma sensação de perda de consciência... Vejo tudo enevoado. Não consigo distinguir bem as formas. Oiço uma voz mas não a reconheço nem consigo perceber o que diz... Sinto o meu corpo a ser arrastado, e em seguida num leve balanço como que a cavalgar. Que se passa? Onde estou? Ainda estou neste mundo? Morri? Não vejo nenhuma luz como num túnel... Não vejo a minha vida a passar como um filme à minha frente... Nada... Apenas uma sensação de calma. Sim. É isso. Calma. Uma calmaria como que a flutuar num mar sem ondas. Mas uma calma com expectativa. Um silêncio com ruído. Uma escuridão iluminada. Uma cor que não existe no arco-íris. Tudo passa a não fazer sentido. Como num sonho. Será isso? Um sonho? O que era importante deixou de ser. O cansaço levou à exaustão e à conclusão de que nada vale a pena. Nem vale a pena pensar. A importância de tudo toma um peso relativo. As ideias saltitam na minha linha de pensamento e sinto uma vontade crescente de rir à gargalhada. Quero correr. Apetece-me correr... e saltar... e rir...

Novamente sinto um arrepio a percorrer-me o corpo. Uma sensação desagradável que interrompe aquele êxtase momentâneo. Recordo-me da realidade. Recordo-me dos últimos momentos... e a partir daí tudo se torna turvo. Agora sim, vejo imagens a passar... episódios que vivi... e sim, sinto-me a caminhar num túnel... um túnel que termina numa luz fosca que se torna mais brilhante à medida que o percorro... Será agora?

Uma dor forte... física... Não percebo porquê... ainda não me lembro porquê... Abro os olhos com dificuldade...

- Quem és tu?