segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Pérolas da Função Pública - Parte V - O desfecho... I Hope!

Hoje fui à Segurança Social para devolver o que eles não me deviam ter pago. Chego lá, e dou de caras com uma folhinha impressa a computador colada na parede que dizia "Multibanco fora de serviço". Claro, outra coisa não seria de esperar de uma entidade que tem aversão a tecnologia (não sabe o que é um fax, não responde a mails, não sabe emitir uma referência multibanco para pagamentos... and so on).

Depois de procurar uma caixa multibanco (a 2ª caixa, pra ser mais precisa, já que a 1ª não tinha dinheiro), e de ter apanhado a chuva que se lembrou de cair nesse exacto momento (raios partam o Murphy!), lá paguei o que nunca devia ter recebido.

Chego a casa, e não é que tenho 2 mails da Segurança Social em resposta a duas dúvidas que eu coloquei a 12 de Novembro (o dia em que interrompi a baixa)! Num deles gostei do pormenor de ter a cópia do mail que enviei, mas com a informação de que foi "recebido a 24/12"! Será que a net deles funciona por pombos correio? É que demorar um mês e meio para que recebam um mail, é um bocadinho abusivo... Já davam comida aos pombos...

Relativamente à informação constante dos emails recebidos, só dá vontade de rir. Um era para informar que "o subsídio de doença tinha cessado por ter voltado para a actividade laboral" e que tinha sido pago (Ah... ainda não tinha reparado... até já devolvi o dinheiro e tudo... DUH!). O outro era para informar que "em breve receberei uma carta com a informação pedida". A julgar pelo tempo que demoram a chegar os mails, talvez daqui a um ano receba essa tal carta... O que vale é que esse assunto já está mais que resolvido e a carta ficará só para recordação...

domingo, 27 de dezembro de 2009

Neste Natal...

... senti o verdadeiro espírito natalício de partilha e alegria.

Obrigada amigos! :D

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Send your own ElfYourself eCards

Pérolas da Função Pública - Parte IV

Depois de eu ter perdido tempo e dinheiro a enviar uma carta registada com aviso de recepção, para as excelências da Segurança Social, para informar que tinha interrompido a baixa, acabaram por me pagar indevidamente os dias em que eu já fui trabalhar.

Hoje tive a surpresa (já esperada) no correio: um oficio a avisar que tenho de restituir o dinheiro "pelos motivos anteriormente comunicados a V.Exª" (eu pergunto quais, já que eles não me comunicaram rigoramente nada). Como seria de esperar, e vindo de uma entidade que nem fax tem, os meios de pagamento são surreais, pois implicam ir novamente à SS, ou então enviar um cheque pelo correio (é demasiado para eles fornecerem uma referência multibanco... muito à frente, mesmo...). Como está mais que provado que eles não devem abrir a correspondência que recebem, a 2ª hipótese está fora de questão.

Lá vou eu perder mais anos de vida a aturar aquela gente... Só espero que a funcionária que me atender desta vez não se tenha esquecido de tomar as gotas...

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Tarde típica de gaja

Eis se não quando, fui absorvida por um desejo enorme de comprar roupa. Sim, não podia ter escolhido melhor altura... trânsito, lojas a abarrotar... Enfim, esqueci-me que está muita gente de férias... ou no desemprego... mas sem perderem a oportunidade de comprar este mundo e o outro para o dia das prendas (chamemos-lhe assim).

Passei a tarde inteirinha de loja em loja (e atenção que eu não sou de engonhar, levava um percurso pré-definido e objectivos concretos). E não é que me fartei de comprar coisas giras? Estou-me a borrifar para os saldos. Agora já havia pouca coisa, imagino daqui a uma semana... Dei-me ao luxo de nem pensar no preço. Gostei, comprei. E foram vários os amores à primeira vista (sim, tive de ir ao carro deixar os sacos antes de ir às últimas lojas... já estava um pouco pesada :P).

Obviamente que nada é perfeito. Descobri o cinto dos meus sonhos (sim, tb sou mt esquisita com os cintos... tipo as malas... :P), mas não tinha preço. Nem quis saber, ia compra-lo. Mas afinal, descobriu-se que o cinto (que estava misturado com todos os outros cintos) fazia conjunto com um colete pavoroso, e não era vendido em separado. Fiquei pra morrer... mas resisti à tentação de comprar o colete (vómitos) só para ficar com o cinto...

Para finalizar, 2ª circular parada. Meti-me por um atalho com a ajuda do meu fiel amigo TóTó, e acho que demorei mil vezes mais. Lei de Murphy no seu melhor... um dia ainda gostava de conhecer esse gajo...

P.S: Pode ser que nos saldos compre o colete... :P

PS2: Este post não tem interesse nenhum, eu sei... mas... whatever!

sábado, 19 de dezembro de 2009

Buraco negro

O breu da galáxia. Apenas pequenos pontos brilhantes lá ao fundo... muito distantes...

Abro os olhos subitamente. Com a pouca força que tenho consigo levantar-me novamente daquela cama desconhecida. Percorro a casa à procura... Está vazia. Estou sozinha...

Muitas perguntas... algumas respostas, uma delas bastante óbvia. Nunca nada consegue ser perfeito. Há sempre um "pequeno" pormenor que destroi a obra de arte.

Decido partir. Desisto. Desisto mesmo. O cansaço foi substituído pelo "whatever". Sem ajuda é difícil. E essa ajuda nunca aparece. De volta à insipidez da resignação: o que for, será.

Tudo acontece lentamente... mas o tempo passa depressa demais... Tudo acaba num buraco negro indiferente à nossa existência...

Whatever...

domingo, 13 de dezembro de 2009

Ai as minhas pernas...

7 dias seguidos de ginásio e já noto melhorias na resistência e na frequência cardíaca.

Custa-me tanto ir... mas quando lá estou é tão bom...

Até já descobri a melhor hora para ir... ;)

Vamos ver como me porto agora depois das férias...

Facebook, FaceGame ou Gamebook?

Já há uns aninhos que abri uma conta no Facebook após ter recebido um convite por email. No entanto, já tinha Hi5, e o aspecto do Facebook não me era minimamente apelativo, pelo que caiu no esquecimento. Só há bem pouco tempo é que lá voltei a entrar para tentar perceber o porquê de ultimamente andar na berra.

Ao princípio, comecei a viciar-me nos quizes (nos mais estúpidos, obviamente) para me rir um bocadinho. Acabei também por reencontrar velhos amigos. Tirando isso, o look continuava aborrecido, e não parava de receber notificações de pedidos de Farmville e afins. Sempre achei esse tipo de jogos uma estupidez, apesar de ter sido viciada (pouco tempo!) no Jones (?... não me lembro se era este o nome do boneco a quem orientavamos a vida). Mas, depois de ter falado com uma amiga, acabei por decidir dar uma espreitadela. E não é que aquela porcaria é viciante? Farmville, Lil Ville, Cafe World, Fish Ville, Happy Aquarium... há para todos os gostos (sim, até há jogos semelhantes mas com um nome diferente!!). Os bonecos estão engraçados (jogos típicos de gaja... mas que viciam os gajos!), mas não deixam de ser um pouco secantes. Todos têm em comum o dar e receber "gifts", e não haver vencedores nem vencidos. Só é preciso saber esperar... Pessoalmente acho mais piada ao Treasure Madness (é o meu lado de Indiana Jones) até porque, apesar de entrar no mesmo saco, tem uns joguinhos lá pelo meio, e acaba por ser mais interactivo. Agora, bons bons são os jogos (na verdadeira acepção da palavra) tipo Music Challenge (sim... oiço a 1ª nota e já sei qual é a música :P), Brain Buddies e Typing Maniac. São jogos básicos, mas que estimulam a mente e a rapidez. Viciam e de que maneira (pelo menos até batermos o nosso próprio recorde... ou os de todos os nossos amigos... eheh)!

De tudo isto se conclui que o conceito de rede social está a mudar, e o Facebook acaba por ser o portal de jogos mais famoso da actualidade...

P.S: Sim, estive de férias... agora que volto ao trabalho, lá vão as plantações murchar... lol

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

"As Malditas"

Hoje voltei ao Tivoli. Só lá tinha ido uma vez, já há uns aninhos, mas tinha uma ideia diferente da sala... recordava-a maior... e não tão degradada (já davam um arranjinho naquilo...). Mas adiante.

Fui ver "As Malditas", uma descoberta ao acaso (sim, porque tudo o que fuja da CTC acaba por me escapar...), com o já conhecido Tobias Monteiro (muito bem n'As vampiras lésbicas de Sodoma), Rodrigo Saraiva (irreconhecível) e Rui Melo. Tudo homens a fazer papel de mulher. A história gira à volta de 3 irmãs, Gerusa, Merlusa e Santuza, e nas tentativas de duas delas impedirem o casamento da outra com o Adolfo Rodolfo. O momento alto foi sem dúvida o "voo" e queda livre das manas (nem os chumaços nas ancas lhes evitam as nódoas negras... lol). De salientar também a muito boa prestação (e voz!) da "Elza" no início do espectáculo e mais tarde no papel de pintura viva (Paulo Duarte Ribeiro).

Muita gargalhada é o que se pode esperar desta peça. A não perder, em cena até dia 19.

sábado, 5 de dezembro de 2009

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Pérolas da Função Pública - Parte III - "O regresso"

... E no dia seguinte a primeira coisa que fiz quando cheguei foi ir ao serviço de pessoal. Conclusão: disseram que pagavam o que a SS não pagará. Isto por si só, já é admitir que a culpa foi deles, no entanto, pasmem-se, tiveram a lata de dizer que a culpa foi minha porque eu é que tenho de saber que documentos é que devo entregar (o que até pode ser verdade), e que eles (a malta do "Expediente") NÃO são obrigados a verificar se os documentos que recebem são os correctos (!!!!), e como tal estavam a fazer-me um especial favor, mas que não se repita porque agora eu já sei como é (!!!). Estou a pensar seriamente em começar a escrever em papel higiénico e enviar para o expediente... porque eles aceitam tudo.... e pelo menos assim aproveitavam para limpar aqueles cérebros.... se os tivessem!

Pediram apenas para lhes entregar um comprovativo da SS de como o processo foi indiferido. (Estou tramada...)

Dias depois...

... lá arranjei um tempinho para ir à SS, depois de uma tentativa falhada (bati com o nariz na porta, pois ali só se trabalha até às 16h, apesar de no site dizer outra coisa...). Tiro a senha, e incrivelmente só tinha uma pessoa à minha frente. Olho para a "senhora" que me iria atender e, pelo tempo que demorava e pelo primor de educação com que falava com a pessoa que estava a ser atendida, vi logo que tive azar. Era só o que me faltava... mais uma atrasada mental! Meia hora depois, dão a noticia de que o sistema informático está parado, sem previsão de quando iria voltar a funcionar... Boa, não há mais nada que possa acontecer?

O sistema informático lá começou a funcionar, e lá foi chamado o nº 33. Esta, voltou passado 5 minutos, revoltada por, pelos vistos, não lhe terem resolvido nada (só não acerto no Euromilhões...). E a seguir lá vou eu para o atendimento mais surreal que eu já alguma vez tive...

- Boa tarde. Eu venho porque... (interrompida)
- Qual é o seu nº de beneficiário? (de trombas)
- É o xxxxxxxxxxxxxxxx
- Sim, e então? (de trombas)
- É que eu preciso de um comprovativo de como o processo relativo à minha baixa de Junho foi indiferido, para o apresentar no meu serviço.
- (a olhar para o computador) Então mas o processo foi indiferido! Mas oiça lá, a sua empresa não sabe há quanto tempo é que você faz descontos? Não me diga que não sabe! Está lá há 6 meses e não sabem?
- Mas... (Oh meu deus... quem é esta croma??? E que raio está ela a dizer??? Descontos?? 6 meses?? Será que vê coelhos??)
- É que a culpa é sempre da SS, nunca é das empresas!
- Mas posso explicar?
- (trombas)
- O que se passou foi que... (lá expliquei numa frase, antes que ela me interrompesse mais uma vez)
- Ah! Então foi diferido por causa dos prazos!
- (DUH!!!)
- Então e agora o que é que quer?
- Quero um comprovativo de como foi indiferido.
- Oiça lá, já recebeu em casa o oficio?
- Não, mas... (nova interrupção)
- Então tem de esperar!
- Mas disseram... (nova interrupção)
- Recebeu ou não recebeu?
- Não... mas... (nova interrupção)
- Então!
- Eu liguei para a SS e disseram-me que me podia dirigir aqui para que me dessem esse comprovativo!
- Então tem de escrever um pedido para seja feito o oficio.
- (tou lixada...) E posso fazer isso.... agora?
- É que a culpa é sempre da SS...
- Mas a culpa não foi da SS, foi deles!
- Então mas o que é que quer?
- Quero um documento vosso a dizer que o processo foi indiferido!
- (trombas). Vou-lhe imprimir isto e pôr um carimbo da SS. É isso que eles querem? Aceitam isto?
- (Eureka!!!) SIM!!!! É isso mesmo!!!
- É que a culpa é sempre da SS... mas as empresas muitas vezes é que são as culpadas. Mas a culpa é sempre da SS...

Fez um print screen de uma tabela muita ranhosa com as minhas 2 baixas, em que na linha da 1ª baixa dizia "Para diferi" (sim, o resto ficou cortado na impressão...) e carimbou. Fugi dali a sete pés, mas com a certeza de que não iriam aceitar aquilo como comprovativo, e que teria de esperar mil anos para receber o tal oficio pelo correio.

Enganei-me (pelo menos uma vez na vida surpreenderam-me pela positiva!). Aceitaram o comprovativo, e até gentilmente perguntaram se eu queria ficar com o original (pra recordação...).

Parece que em Dezembro vou receber a prenda de Natal... o meu ordenado de Junho!

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Pérolas da Função Pública - Parte II

Estou piursa. Isto de ficar de baixa dá mais trabalho do que ir trabalhar. Malditos virus...

Acabei de ligar para a Segurança Social e, uma vez que interrompi uma baixa por doença vou ter de escrever uma carta e envia-la em correio registado e com aviso de recepção para a SS para comunicar isso mesmo (sim, porque por fax não recebem, e por telefone, apesar de terem o computador à frente com o meu processo não é suficiente). Mas adiante...

Há uns meses estive, pela 1ª vez na minha vida, de baixa por doença durante 14 dias. Como tenho a ADSE, entreguei a baixa (no documento da ADSE) no Serviço de Pessoal no 1º dia útil após ter ficado doente. Passaram-se os 14 dias de baixa e entrei de férias. Qual não é o meu espanto, quando a meio das férias (5 dias após término da baixa e 17 dias após ter entregue o papel), me telefonam do Serviço de Pessoal a dizer que o papel não era aquele, porque para efeitos de baixa a SS era responsável. Perdi uma manhã de férias (e gasóleo, portagens e paciência) para me passarem novamente a baixa noutro papel e para o entregar no Serviço de Pessoal. Disseram-me que por não ter entregue o papel dentro do prazo limite, eles iriam descontar-me do ordenado, mas que seria reembolsada pela SS. Hoje fiquei a saber que fiquei a arder em 856,52 euros (coisa pouca) pois, precisamente por o documento ter sido enviado para a SS fora do prazo, não me vão reembolsar em nada. Tudo graças à extrema competência e eficácia daquela gentinha acerebrada do serviço de pessoal, que... só demoraram 17 dias a reparar que o papel não era aquele!

Amanhã vão-me ouvir... ai se vão!

sábado, 14 de novembro de 2009

Enroscadinha

Faz amanhã precisamente um mês que fui pela última vez à praia este ano (ou talvez não...). Nunca na minha vida tinha feito praia em Outubro, mas este ano consegui a proeza, e devo dizer que apanhei uns dias melhores que muitos dias de verão.

Entretanto o frio apareceu de repente, de mãos dadas com a chuva, e com tudo o que isso acarreta: trânsito, acidentes, roupa molhada, espirros, suspeitas de gripe A... e principalmente uma vontade louca de ficar o dia inteiro no sofá, no quentinho, a ouvir a chuva a cair e o vento a assobiar lá fora, enroscadinha num cobertor e a ver um bom filme. Infelizmente ainda não pude concretizar essa minha vontade... mas pelo menos já tenho ali uma pilha de filmes à espera desse momento...

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Aventura gripal

A minha aventura começou, depois de um fim de semana com tosse e dores no corpo (incluindo uma dor de cabeça brutal), e uma noite mal dormida graças à bela da febre que resolveu aparecer. Se até aqui me estava nas tintas (casa de ferreiro...), este último sintoma obrigou-me a tomar outro tipo de precaução, principalmente no que diz respeito às pessoas com quem sou obrigada a contactar diariamente. "Espera lá... será que é gripe?..."

Não que a gripe me assuste (assusta-me mais a ameaça latente de poder ficar sem férias de Inverno por causa dela...). Aliás, costumo dizer que, depois de ter tido mononucleose, até pode vir a gripe Z, que de certeza que não lhe chega aos calcanhares. Estou um bocado (para não dizer muuuuuuuuuito) farta desta história da gripe A e de tudo o que ela envolve, mas, tendo em conta que devemos zelar pela saúde do "próximo", liguei para a Saúde 24 para que me dessem orientações (sim, porque desde que a gripe surgiu, as orientações mudam de hora a hora, e passam a ser mais "desorientações" que outra coisa). Fui atendida por uma enfermeira com o discurso politicamente correcto de "call center", que me colocou a lista pré-definida de questões, e me indicou que deveria ser observada por um médico. Para tal, deveria dirigir-me ao Centro de atendimento da gripe no meu centro de saúde, o qual só estaria disponível a partir das 18h, pelo que, até lá, deveria ficar atenta à temperatura e ao aparecimento de novas queixas. Deveria ir em transporte próprio e com máscara.

Como miúda bem mandada que sou, fiquei em casa a aboborar, à espera das 18h, e nessa altura fiz o esforço para me meter no carro. Cheguei às 18:05 (já a dar um desconto de 5 minutos), quando o segurança me diz que o centro de atendimento da gripe tinha fechado às 18h, e que agora era o atendimento geral.

"Tem sintomas de gripe? Tome lá uma máscara." Piursa da vida, lá meti a máscara na cara. Inicialmente acho que era a única pessoa com máscara. Senti-me o verdadeiro alvo das atenções... uma figura temida... só me faltava a foice e o manto negro... Estava de facto enquadrada naquela verdadeira visão do inferno. Pessoas a barafustar porque nunca mais eram chamadas, mães indignadas por os filhos (que pareciam mais saudáveis que qualquer outro) não terem prioridade ("quando eu fui com ela ao hospital foi logo chamada! Não se importa de ligar lá pra cima para verificar se não tenho prioridade?), ou o casal jovem (que de doente também tinha pouco) que se fartou de rir quando viu que (só) tinha 30 pessoas à sua frente.

Passado algum tempo as máscaras foram aumentando de número. Contudo, eu devia ser a única naquele espaço com a máscara (bem) colocada. As crianças brincavam com as máscaras nas mãos enquanto tossiam e espirravam para o vizinho do lado, para gáudio dos papás. E os adultos, não só colocavam a máscara de maneira demasiadamente "ventilada", como a tiravam de cada vez que falavam. Um verdadeiro primor de prevenção da infecção. Senti-me verdadeiramente protegida... porque eu tinha uma máscara!

O sistema de senhas era verdadeiramente paleolítico (palpita-me que também envolvia sinais de fumo), e depois de uma hora e meia, lá me chamaram para fazer a ficha. Daí para diante foi surpreendentemente rápido, e 10 minutos depois estava a ser chamada. A médica com tudo a que tinha direito: máscara, luvas e bata descartável. Super simpática e despachada.

Agora vamos ver se a febre volta...

P.S: Acho que vou começar a andar de máscara... talvez me comecem a levar mais a sério...

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Teste da garrafa

"Quantos golfinhos estão nesta imagem?".

Da primeira vez que me fizeram esta pergunta achei que estavam a gozar, pois eu até sou boa nestas coisas, e não conseguia ver nenhum golfinho, apesar de ter perdido algum tempo à procura deles. Depois de me terem feito umas setinhas (literalmente...) fiquei parva... estava mesmo cega!

Às vezes estamos demasiado concentrados no todo e não conseguimos ver as partes... outras vezes não conseguimos ver o todo... e outras vezes não o queremos ver...

P.S: Ah... supostamente quem não consegue ver os golfinhos tem uma mente muito depravada... lol...

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Pergunta do dia

Como demorar uma hora para fazer um percurso de 10 minutos?

........ Saindo de casa quando vai jogar o Benfas.... AAAGGHHH!!

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Nunca mais.

Acabei de saber que morreu uma pessoa que já não via há 9 anos (!) mas pela qual nutria um grande carinho. Nove anos... agora fazendo as contas, é muito tempo! E no entanto parece que foi ontem... Fui embora com a promessa de que voltaria para a visitar... e por um motivo ou por outro a única visita acabou por ser sempre o telefonema anual no dia de aniversário. Teria sido há 2 dias esse aniversário. Teria sido os 90 anos de uma pessoa cheia de vida e de genica, como muitos não têm aos 20. Fez parte da minha vida... pelo menos, de uma parte muito importante da minha vida. E agora, sinto-me triste por ter adiado sempre a visita... que, afinal, teria sido tão fácil de fazer...

Isto faz-me pensar no "nunca mais". Nunca mais ver uma pessoa... nunca mais poder estar num determinado sitio... nunca mais poder fazer algo que esteve sempre na lista do "to do". O nosso tempo é precioso... e no entanto gastamo-lo com coisas tão insignificantes, que nem damos conta que o relógio não pára... não pára mesmo... e só o percebemos quando olhamos para trás e vemos que é tarde demais.

Acho que ando particularmente emocional (ontem quase chorei de alegria ao saber da gravidez de uma amiga minha...), mas neste momento sinto-me muito triste por deixado "para amanhã" mais uma coisa...

Até sempre D. Nair...

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Back to the gym!

Depois de um mês a arranjar desculpas para não ir, lá consegui não faltar à minha 1ª avaliação física no novo ginásio, depois de já a ter desmarcado duas vezes.

Adorei. Os instrutores são impecáveis, super simpáticos, super relax, não vieram com o paleio nº1 ("ah, acho que deves ter um PT... conheço um muito bom... eu!"), não me chatearam com a alimentação nem com o paleio nº2 ("ah, convinha fazer uns suplementos proteicos. Sei de uns frascos que são óptimos...") e fizeram-me um treino bastante bom. Gostei.... e... fiquei motivada para voltar!

Fiquei também a saber que dos meus 47,8 Kg, só 19,6% são massa gorda (o que por sinal é bom), e que estou com uma boa força muscular (sim, dava uma sova a muita gente... ihih).

Agora que já tenho o meu treininho organizado, e detalhado numa folhinha toda pipi... vai ser sempre a abrir! (I hope...)

Sinto-me bem, apesar de cansada. Já tinha saudades desta sensação zen depois de uma horinha de ginásio. Bem... hoje foram 2h... e algo me diz que amanhã só mexo os olhinhos...

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Brinquedo novo!!

Depois de quase um ano a namorar um HTC "supé giro" mas "supé caro", à espera que o preço baixasse à medida que fossem saindo modelos novos, eis senão quando, no meio de todo o meu tédio, vou espreitar o inúmero spam da minha caixa de correio e vejo que lá foi parar a newsletter da Fnac.

Já há muito tempo que eu dizia na brincadeira que quando o preço do meu "unicórnio" estivesse num limite aceitável (e como tal, completamente desactualizado), eu compraria... outro! E não é que aconteceu mesmo? Agora que o meu "futuro" brinquedo tinha atingido uma descida total de 70 euros (em quase 1 ano... uau...), troquei-o por outro... Faz-me lembrar aquele outro post...

Na newsletter vinha o anúncio de um HTC em pré-venda já há quase um mês. Como sempre, quando toca a telemóveis, fiz um exaustivo estudo de mercado, comparei, comparei, comparei... e... em meia hora (lol), estava a fazer a encomenda de um telemóvel que apenas conheci em fotografia...

Não é tão giro como o outro... mas... por apenas mais 14g e 40 euros, ganho um software actualizado, mais memória e outras cocozices que não servem para nada mas fazem parte do kit... O que interessa é que é praticamente do tamanho do outro (sim, para mim o tamanho interessa :P), continua a ser leve e vai substituir os meus velhinhos telemóvel e pda que já estão fartos de ameaçar parar de funcionar de vez.

Amanhã é o lançamento... Sim, já perdi um pouco da euforia infantil que tinha sempre que comprava qualquer nova "coisa tecnológica", mas não vou deixar de perder umas boas horinhas a descobrir todas as potencialidades do meu novo brinquedo ;)

domingo, 4 de outubro de 2009

Cromos ao volante V

Código da Estrada - Artigo 38.º
Realização da manobra

1 - O condutor de veículo não deve iniciar a ultrapassagem sem se certificar de que a pode realizar sem perigo de colidir com veículo que transite no mesmo sentido ou em sentido contrário.
(...)
4 – Quem infringir o disposto nos números anteriores é sancionado com coima de € 120 a € 600.


Só não sei o que me irrita mais... Se os camionistas, se aqueles cromos com grandes bólides mas que andam na autoestrada a 80Km/h, ultrapassam a 70km/h e nem sequer olham pelo espelho retrovisor...

Comprem uma charrete e vão pro monte passear!!!

Pensamento do dia VIII

"O que nasce torto... jamais se endireita!"

domingo, 20 de setembro de 2009

Claridade e clareza

Tenho a sensação de que dormi durante anos... séculos... Metaforicamente dormi mesmo...

Não consigo perceber se lá fora o dia está a começar ou se a claridade que entra no quarto resulta dos últimos raios de sol que iluminam o dia. Sento-me na cama. O músculos estão doridos. Até parece que estive numa batalha... Sim, estive mesmo. Agora lembro-me. Tento levantar-me e a dor que sinto faz lembrar-me também da presença daquele ferimento, cuidadosamente envolto numa ligadura por umas mãos desconhecidas. Não sei onde estou. Não reconheço nenhum canto deste quarto. Recordo-me vagamente de uma voz... um vulto... um rosto que não consigo identificar... Onde estou? Curiosamente, apesar do ambiente desconhecido, sinto-me bem. Por algum estranho motivo este lugar transmite-me calma...

Uma brisa fresca mas agradável entra pela janela brincando com a cortina numa dança ondulante. Consigo levantar-me. Agora vejo tudo com uma certa clareza. Sinto as amarras a quererem soltar-se... a ilusão a desvanecer-se. De repente tudo se torna demasiado claro e simples. Sinto força. Sinto vontade. Sinto...


Saio. Não muito longe vejo o mar e um areal que parece não ter fim. Avisto alguém bem perto contemplando o horizonte e dirijo-me na sua direcção... Não tenho muitas perguntas... mas quero as suas respostas...

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Não há bela sem senão...

Descobri...

  • uma mala preta lindíssima, do tamanho que eu quero (e que, portanto, quase julguei não existir)
  • um ginásio melhor e mais barato que o anterior

  • como ir directamente da minha casa para o eixo norte-sul e fugir ao trânsito até à 2ª circular


  • Os senãos...

  • a mala custa a módica quantia de 89 euros

  • falta-me a vontade para ginasticar, e só me restam 12 dias para estrear o novo local

  • estão a fazer obras que me obrigam inevitavelmente a desaguar na rotunda do trânsito matinal diabólico


  • Oh well... Melhores dias virão...

    terça-feira, 15 de setembro de 2009

    "O Diabo dos Números"

    "Roberto, um rapazinho de onze anos, não gosta de Matemática porque não compreende nada nas aulas. Porém, uma noite, começa a sonhar com o diabinho Teplotaxl que se dispõe a iniciá-lo na ciência dos números. Durante doze noites, Roberto vai aprender os segredos e os mistérios dos números, numa divertida e instrutiva viagem ao País das Matemáticas."

    A matemática é, para a maioria das pessoas, demasiado monstruosa e assustadora. E essa ideia acaba por ser alimentada por todos aqueles que nos começam desde cedo a falar horrores desta ciência. Ainda me lembro de uma colega minha, um ano à minha frente, me dizer que a trigonometria era uma coisa pavorosa... que não se percebia nada... super difícil. Vá lá que eu "não neguei à partida uma ciência que desconhecia", pois acabou por ser das áreas da matemática que eu mais gostei. A beleza da matemática está no facto de ser preciso raciocinar para se perceber e consequentemente gostar dela. Depois de se perceber o porquê das coisas, tudo se torna mais simples, mas poucos são aqueles que concluem que raciocinar é bem melhor do que decorar coisas que, se não forem percebidas, não fazem sentido. É quase como se raciocinar desse muito trabalho... mas as coisas que se memorizam, esquecem-se rapidamente, enquanto que a capacidade de chegar a uma resposta através do raciocínio, nunca se esgota.

    Este livro devia ser de leitura obrigatória. Desde os números romanos, aos primos, passando pelos irracionais e de Fibonacci, até ao triângulo de Pascal, combinações e séries convergentes, vários temas são focados e explicados de maneira bastante engraçada e pedagógica. Muitos dos que têm medo da matemática, iam deixar de ter se lessem este livro. Infelizmente (e como quase tudo o que é útil e importante) este livro encontra-se em ruptura de stock na editora e não há previsão para a sua reedição... :(

    quarta-feira, 9 de setembro de 2009

    3 palavras:

    Róisín Murphy, Overpowered.

    Não querendo ser repetitiva, uma vez que já postei (oh meu, que termo tão "pós-acordo ortográfico") 2 músicas deste álbum, não posso deixar de lhe fazer referência. Continuando na minha saga de ouvir as 874367583 músicas que tenho em atraso, deparei-me com esta pérola. Depois de o ouvir do principio ao fim (sim, porque no carro normalmente prefiro fazer um mix de todos os sons do meu mp3), chego à conclusão de que já há algum tempo que não conseguia encontrar um álbum do qual gostasse de todas as músicas. Com semelhanças a Moloko, acaba, no entanto, por ser um som mais fácil de digerir para aqueles que estranham este tipo de sonoridade. Aconselho vivamente para quem gosta do género. Se eu já era fã, agora sou assumidissima!

    terça-feira, 8 de setembro de 2009

    Pensamento do dia VII


    "Quando há vontade, tudo se faz."

    ... ou pelo menos, tenta-se fazer.

    Quando não há, é que são elas...

    E dá tanto trabalho arranjar boas desculpas...

    quarta-feira, 2 de setembro de 2009

    Agora é que eu vou engordar

    Estreei o meu conjuntinho novo e lá fui toda pimpona para o ginásio. Quando lá chego e tenciono pagar a mensalidade sou informada de que neste mês passaram a existir novas condições... Qual não é o meu espanto quando vejo que a mensalidade aumentou... 20 euros!!! Só podiam estar a gozar comigo... mas não... não estavam... Enfim, meia volta e até nunca. Fiquei mesmo triste... Eu que até gostava do ginásio, pois além de ser mais barato que os outros mais mediáticos, tinha a vantagem de estar sempre vazio ou quase. Acho que com a subida dos preços, agora é que vai estar sempre vazio!

    Aceitam-se sugestões de ginásios porreiros, com mensalidades inferiores a 75 euros, que só terão a ganhar com a minha presença... Caso contrário, terei de substituir a passadeira pela corrida no parque aqui do lado, os colchões pelo chãozinho de casa para os abdominais, e os halteres por qualquer dossier de arquivo ou por uma qualquer obra da literatura tipo Rouviere ou Novak...

    (Eu não disse que detestava este mês? E ainda só passaram 2 dias...)

    terça-feira, 1 de setembro de 2009

    O déjà vu...

    Às 20:30 já é de noite...
    Está frio...
    As férias já acabaram para a grande maioria das pessoas...
    Voltou o trânsito (totós na estrada)...
    A gripe vem aí (e já estou FARTA dela)...


    Já disse que detesto este mês?

    terça-feira, 18 de agosto de 2009

    Fim de semana ESPECTACULAR

    Já se tinham passado 4 anos desde que tinha cheirado pela última vez o aroma daqueles eucaliptos, desde que tinha dormido numa tenda, desde que... E eis que, num acto completamente espontâneo envolvido por um desejo de respirar fundo, decidi voltar a fazê-lo neste fim de semana. Já me tinha cortado anteriormente por motivos perfeitamente idiotas, mas desta vez consegui fazer o que já devia ter feito há muito tempo: voltar a Aljezur... Foram só 2 dias, com muito cansaço pelo meio... mas posso dizer que já há algum tempo que não me sentia tão bem.

    A aventura começou comigo ao volante de um carro com mudanças (!)... ok, foi só porque ficou sem bateria, e obviamente que não seria eu a empurra-lo :P. Claro que isto não teria acontecido se fosse um Volvo C30... (mas talvez tudo mude, lá para Novembro, quando certa pessoa ganhar o Euromilhões). O facto de termos dormido pouco na noite anterior (por diferentes razões...), tornou a viagem longa, mas a soneca na Arrifana deu para recuperar energias... e que bem que lá se estava...

    A noite caiu, o friozinho característico daquela zona apareceu, e acabei por descobrir que é muito complicado conseguir comer naquela terra. Vimo-nos à rasca para encontrar um restaurante para jantar, mas depois de muitos precalços, lá acabámos no Com Alma, a comer uns bifes brutais com molho de mostarda e natas (que mesmo assim não conseguem ser tão bons como os do Borda d'Agua), e claro, um bolo de mousse de chocolate, que, apesar de pequeno, revelou ser uma verdadeira bomba. Isto regado com uma garrafinha de S. Vicente... ups... Sta Luzia! :P

    O melhor da festa veio mesmo a seguir, depois de uns copitos no Pont'a pé... É assim... pessoal fraquinho que não aguenta o álcool e depois só diz calinadas... (não, não estou a falar de mim :P). O que vale é que a seguir fomos ver estrelas cadentes até às 5 e tal, ao som de Zero7 (além daquela "das pulgas e dos bichos" dos GNR... lolol), estacionados em cima das couves... ai não, eram árvores! Enfim, já há bastante tempo que não me ria tanto... Soube mesmo bem... Efectivamente ;)

    No dia seguinte, o calor dentro da tenda impediu-me de dormir tudo o que queria, mas deu para dar umas voltinhas no parque e ver como está diferente (ou não...). Depois de facilmente desmontar as tendas (até aqui se prova que é tão mais fácil destruir do que construir), e de esperar eternidades pelo STP-mobile (tudo por culpa de um jipe que estacionou lá ao lado... ah não! Já lá estava! :P) voltámos à praia, e novamente a aventura para jantar. Desta vez acabou por ser no Chill Out, bem pertinho do parque.

    Com muita pena minha, as últimas horas passaram ainda mais depressa que as primeiras, e quando dei por mim, já cá estava novamente, podre de sono, e com mais uma semana de cortar os pulsos à minha espera. Fiquei triste por não ter comido um coração quente (nunca deixes para depois do jantar o que podes fazer antes!), e por não termos tido direito à pulseirinha verde mas... é amanhã que chegam mais! Buga? ;)

    - ... Como é que se chamavam os gajos que eram cabeça de cartaz?
    - Epá... Não era os... Cockroach?
    - Papa Roach!

    sexta-feira, 14 de agosto de 2009

    Lista negra

    Durante 5 anos tive este desenho colado no meu quarto... Curiosamente, foi a partir do momento em que o deitei fora, que a lista foi aumentando.

    Infelizmente, há pessoas com as quais somos obrigados a conviver. E eu seria tão mais feliz se o cinismo não me pusesse fora do sério...

    Realmente... há por aí muita gente com falta de sexo...

    segunda-feira, 10 de agosto de 2009

    Pensamento do dia VI



    "Nas costas dos outros vemos as nossas."

    A conclusão pode ser tardia, mas é apenas mais uma verdade absoluta...

    quinta-feira, 6 de agosto de 2009

    EEK!


    Estou viciada neste jogo! O objectivo é "esmurrar" o maior número possível de ratos, fugindo, claro, das armadilhas. Sete níveis (número perfeito... lol) com 50 ratos a surgirem cada vez a maior velocidade. É básico, mas acho piada aos bonecos e ao som, e sim, já cheguei ao fim, mas continuo viciada. Para quem quiser experimentar, aqui fica o link.

    segunda-feira, 3 de agosto de 2009

    Biologia celular


    "As mentiras ... fazem-me lembrar sabes o quê ?
    A constante luta que uma célula tem para expulsar sódio e reter potássio, gastando energia e mantendo o gradiente.
    Ou seja, quanto mais mentiras ...
    mais energia se gasta ...
    quanto mais mentiras a mais pessoas ...
    mais energia, mais pressão
    e a pessoa pode dar em doida."



    LLLLLLLLLLLLLLLOOOOOOOOOOOOOOOOOLLLLLLLLLLLLLLL!
    Magnífica teoria e brilhante conclusão!! Eu própria não diria melhor...

    P.S.: Publicação autorizada pelo autor ;)

    domingo, 2 de agosto de 2009

    "Ridiculous Productions"

    Ainda há quem acredite que a vida é como nos filmes... e que a reacção X significa o sentimento Y mesmo que essa igualdade seja absurda.

    Há quem se agarre a exemplos surreais que sirvam como desculpa e dêem sentido às situações doentias e incompreensíveis da sua vida... mesmo que todas as evidências reais digam o contrário. É como ter um 10 num teste e frisarmos o facto de que o Zézinho chumbou, mas esquecer que toda a restante turma teve 20. As comparações podem ser sempre muito relativas... e convenientes... Só vemos aquilo que queremos ver. Só acreditamos naquilo que queremos acreditar. A negação surge sempre a dada altura da doença...

    Wake up! Get a life... a real one!

    quarta-feira, 29 de julho de 2009

    Pensamento do dia V


    "A sopa feita hoje sabe melhor amanhã. Mas se passar uma semana ganha bolor..."

    Daqui se tiram muitas ilações...

    terça-feira, 28 de julho de 2009

    Cinema português "dobrado"

    Estive ontem a ver o filme "Arte de roubar", o qual, já na altura em que estreou, me tinha aguçado a curiosidade. Não sou grande fã da representação que se faz por terras lusas, e conto mesmo pelos dedos o número de actores dignos desse nome. Aliás, tendo em conta que hoje em dia qualquer um é "actor" (e que implica também ser cantor e modelo, numa explosão de talento que, de repente, toda a gente parece ter), é cada vez mais difícil ter a representação como sinónimo de arte. Mas a geração "Morangos com açúcar" há-de acabar um dia... ou não...

    Mas falando do filme... Digamos que se pode chamar de uma espécie de Tarantino/Rodriguez meets Guy Ritchie. Para "aprendiz de feiticeiro", não está mau, não senhor. Gostei. Ou melhor, não fugiu muito das expectativas. Achei piada ao facto de ser falado em inglês, o que ao princípio é estranho, principalmente por se notar um certo cuidado na dicção, tornando-se bastante perceptível sem legendas, coisa que muitas vezes não se consegue com os "americanos de gema" (excepção óbvia para a brasileirinha Daniella Faria...). Destaco a representação de Ivo Canelas e, meninos, a Soraia Chaves também entra! (mas se estão à espera do "Padreco II" vão ter uma grande desilusão...).

    Resumindo, é um filme divertido, que gira em torno das peripécias de 2 ladrões azarados que se deviam dedicar a outra carreira, peripécias essas que, não sendo muito esmiuçadas, vão surgindo e terminando sem muitos rodeios. Ah, e gostei da moral da história: "nunca deixes uma criança a brincar sem supervisão"... ;)

    Achado musical II

    video

    Há um ano atrás alguém me disse que provavelmente eu devia gostar de Nouvelle Vague. Hoje descobri que esta música, que eu ouvi pela 1ª vez no verão passado, é deles... Aqui fica.

    domingo, 26 de julho de 2009

    Sadismo

    Estou aqui a ver o "Gladiador" e, realmente, a natureza humana é imutável. Está e sempre esteve intrínseco em nós aquele gosto sádico de ver destruição, violência, sangue... mesmo que sejam consequência de situações que ocorrem sem ser por nossa vontade ou sem que sejamos os seus causadores.

    Antigamente eram as matanças de escravos que enchiam os coliseus. Era o entretenimento do povo. O espectáculo que unia os ricos e os pobres. Com a evolução, o ser humano foi substituído pelo "bicho"... ou touros, os galos, os cães... A violência é a mesma.

    Ontem quando vinha da praia houve um acidente à saida da ponte. Percebi que foi algo "em grande" pelo número de ambulâncias, carros da polícia e bombeiros. De resto, notou-se claramente o trânsito que se gerou nas faixas em sentido contrário (e não tanto pelo número de pessoas que vinha da praia). O gostinho de ver os "estragos"... os carros esmigalhados... e "com sorte" até algum bracinho ou alguma perninha perdida na faixa de rodagem...

    Não há muito a dizer... é um facto... é algo que está presente em nós. A curiosidade mórbida. Nem que seja apenas para, em seguida, ser substituída por nojo, ou por pele de galinha... nem que seja para ter pesadelos... não interessa. É algo que não vai mudar nunca.

    O animal irracional mata para comer ou para se defender. O animal racional, mata também por prazer...

    quinta-feira, 16 de julho de 2009

    Cromos ao volante IV

    Estou eu a estrear uma das cadeiras que comprei para pôr na varanda (por falar nisso, está-se mesmo bem aqui :P), eis senão quando, oiço o barulho de um carro (suficientemente exagerado para me ter chamado a atenção). Era alguém que estava a estacionar. Aqui fica a foto...

    P.S.: Sim, era mulher... mas coitada... tinha pouco espaço!

    Pensamento do dia IV



    "Mais vale parecê-lo que sê-lo..."

    Infelizmente é assim...

    terça-feira, 14 de julho de 2009

    FÉÉÉÉÉÉRIAAAAAAAS!!!!!

    video

    Ok, ainda não é oficial, mas pelo menos psicologicamente já estou de FÉÉÉÉÉRIAAAAAAS!!!!

    E são 17 dias para fazer muita coisa:

    • Praia (MUITA! E com tudo a que tenho direito: música ambiente, sandes de atum, sumo de morango e o belo do petit gateau de chocolate... ou qualquer uma das outras sobremesas, porque eu não sou esquisita ;P)

    • Voltar URGENTEMENTE ao ginásio (para ganhar a elegância que a minha mãe fez o favor de boicotar durante a sua estadia prolongada chez moi...)

    • Comprar vestidos (sim sim.. devo mesmo encontrar S's nesta altura do campeonato...)

    • Ouvir o monte de CD's que tenho em lista de espera e actualizar o meu leitor de mp3 (acho que o facto de ultimamente estar sempre a carregar no "Next" quer dizer alguma coisa)

    • Ver a 5ª série completa do "Lost" e vários filmes que estão ameaçadoramente a esgotar o limite de capacidade da minha Zon box

    • Arrumar o escritório (sujeito a más condições meteorológicas que me obriguem a ficar em casa)

    • Ganhar coragem para pegar na guitarra e conseguir voltar a tocar as músicas do Albeniz (difícil, este ponto... acho que... não vou ter... tempo... :P)

    ...e ...o mais importante...

    • VOLTAR A TER VIDA SOCIAL!!! (Amigos, a minha agenda está livre... comecem já a fazer marcações! :P)

    sábado, 11 de julho de 2009

    Dentes... essa dor de... cabeça!

    Durante a "bela" fase da adolescência, usei aparelho fixo durante 3 anos. Acho que inicialmente nenhum dos meus dentes devia estar no sítio correcto, por isso o resultado final até foi bastante bom. No entanto, há pouco tempo fui a uma consulta de rotina no dentista e descobriram que a minha articulação temporo-maxilar está mais desgastada de um dos lados, e que por isso devia usar aparelho... outra vez! Parece que este diagnóstico está muito em voga, pois de repente fiquei a saber de mais uma mão cheia de amigos e conhecidos a quem lhes foi dito o mesmo...

    Até aqui, se eventualmente me tinha passado pela cabeça alguma vez na minha vida voltar a usar aparelho, seria apenas para endireitar o dentinho maroto cá da frente. De qualquer modo, tal ideia (se é que existiu alguma vez) não terá durado mais de 0,1 segundos no meu pensamento. Sim, detestei a experiência.

    Ok, já se passaram 16 anos, a tecnologia evoluiu... mas então porque é que me deram uma média de 2 anos para ficar a 100%??? "Ah e tal, para endireitar os dentes da frente é rápido... mas para endireitar os molares por causa da articulação, são 2 anos...". DOIS ANOS??? Antes arranca-los todos e pôr uma prótese!!

    Bem, não sei se é por entretanto estar a ver cada vez mais pessoas com os malditos brackets a enfeitarem a boca, não sei se é porque hoje estou a aproveitar toda e qualquer desculpa para me distrair, mas neste momento a ideia até não me parece assim tão má (amanhã talvez já não...). O meu plano é pedir uma segunda opinião, mas pelo que pesquisei na net, parece que os 2 anos são a regra (senão ficava muito barato... lol). Descobri que agora há uns brackets mais pequenos e eficazes (com resultado mais rápido!), descobri que se podem pôr os brackets na face posterior dos dentes e descobri que há uns aparelhos invisíveis cuja desvantagem é que têm de se tirar para comer ou escovar os dentes (mas pelo menos não ficam cheios de comida agarrada (blegh) nem magoam os lábios e as bochechas). O problema destes novos aparelhos é que ficamos com uma boca bonita mas cegos, porque somos obrigados a dar os olhos da cara para os pagar...

    Estou indecisa... Ponho ou não ponho? Dois anos é muito tempo... :(

    Porque raio tive de herdar os dentinhos tortos do meu pai?? Aghhh...

    sexta-feira, 10 de julho de 2009

    Paparoca e previsões...

    Esta semana fui convidada para um jantar no Jardim dos Sentidos. Nunca lá tinha ido, mas o facto de ser um restaurante vegetariano suscitou-me a curiosidade, uma vez que já há uns bons anos que não saboreava uma boa comida vegetariana, macrobiotica ou afins (basicamente desde que deixei de ter cartão de estudante para poder ir à cantina universitária de entrecampos, onde antigamente a comida era DIVINAL). Primeiro desafio superado (arranjar lugar para o carro) lá me encontrei com o grupo. Praticamente só conhecia uma pessoa, mas acabou por ser muito agradável. O restaurante em si tem um ambiente engraçado, e realmente a comida (e bebida) é muito boa e a preços bastante acessíveis. Já tinha saudades de comer uns bifinhos de seitan como deve ser...

    Segundo aquilo que me tinham dito, iria haver algumas surpresas... e eu como a nível de curiosidade sou meio gata, andei a vasculhar o site à procura de pistas. De entre as massagens e tratamentos, a minha maior suspeita foi mesmo para o campo da astrologia (sim, não estava a ver obrigarem o pessoal a despir-se para fazer massagens... infelizmente... lol). E acertei. Tivemos direito a uma mini-leitura de tarot e acabou por ser muito engraçado. A grande maioria não foi (por medo do que poderiam ouvir!). Eu fui. Sem medos. Até porque, além de achar piada a essas coisas, a probabilidade de uma dessas previsões acertar ou errar é sempre 50%. Nunca tinha experimentado uma coisa dessas (sem ser o básico do horóscopo semanal... lol), e tenho de admitir que gostei. Tive direito a fazer uma pergunta (que obrigatoriamente tinha de ser algo muito concreto) e a pedir uma mensagem dos anjos (ou lá como se diz) a partir de um baralho de cartas diferente. Ouvi coisas más e coisas boas (não vos vou dizer o quê :P), mas obviamente que o panorama geral tem sempre potencial para ser alterado consoante os nossos desejos e reacções (o que é bom, porque assim acerta-se sempre na previsão, seja para um lado ou para o outro... lol). Mas gostei da taróloga (pelo menos não soou a charlatanice e foi divertido).

    Pode ser que da próxima vez que lá for seja para um jantar zen... Aceito convites!!! :D

    quarta-feira, 1 de julho de 2009

    Brilho fosco

    Um calor... e de repente o frio... uma sensação de perda de consciência... Vejo tudo enevoado. Não consigo distinguir bem as formas. Oiço uma voz mas não a reconheço nem consigo perceber o que diz... Sinto o meu corpo a ser arrastado, e em seguida num leve balanço como que a cavalgar. Que se passa? Onde estou? Ainda estou neste mundo? Morri? Não vejo nenhuma luz como num túnel... Não vejo a minha vida a passar como um filme à minha frente... Nada... Apenas uma sensação de calma. Sim. É isso. Calma. Uma calmaria como que a flutuar num mar sem ondas. Mas uma calma com expectativa. Um silêncio com ruído. Uma escuridão iluminada. Uma cor que não existe no arco-íris. Tudo passa a não fazer sentido. Como num sonho. Será isso? Um sonho? O que era importante deixou de ser. O cansaço levou à exaustão e à conclusão de que nada vale a pena. Nem vale a pena pensar. A importância de tudo toma um peso relativo. As ideias saltitam na minha linha de pensamento e sinto uma vontade crescente de rir à gargalhada. Quero correr. Apetece-me correr... e saltar... e rir...

    Novamente sinto um arrepio a percorrer-me o corpo. Uma sensação desagradável que interrompe aquele êxtase momentâneo. Recordo-me da realidade. Recordo-me dos últimos momentos... e a partir daí tudo se torna turvo. Agora sim, vejo imagens a passar... episódios que vivi... e sim, sinto-me a caminhar num túnel... um túnel que termina numa luz fosca que se torna mais brilhante à medida que o percorro... Será agora?

    Uma dor forte... física... Não percebo porquê... ainda não me lembro porquê... Abro os olhos com dificuldade...

    - Quem és tu?

    terça-feira, 30 de junho de 2009

    Piloto automático

    Sempre me irritou aquela particular tendência que certas pessoas têm para não ouvirem o que lhes estamos a dizer. Nunca gostei de falar para as paredes, e por isso também nunca achei piada a falar para alguém que está a ouvir tudo menos as minhas palavras, e muito menos quando o fazem nítidamente. É a tal sensação do "pérolas a porcos"...

    Curiosamente, nos últimos tempos tenho andado numa espécie de piloto automático. Há certas situações e/ou pessoas em que tal é inevitável. Por exemplo, era frequente (para não dizer que era a regra) durante as aulas, em que a minha expressão de interesse e atenção permitiam-me estar no meu mundinho sem faltar ao respeito (e tinha sorte, pois só uma vez me aconteceu fazerem-me uma pergunta sobre um assunto que obviamente eu não tinha ouvido...).

    No entanto, acho que cada vez mais, a minha capacidade de atenção e concentração, já para não falar da minha paciência, estão a atingir o limite inferior do normal. Estou demasiado selectiva. É verdade que ultimamente tenho tido um treino intensivo nesse campo, mas assusta-me os "hmm hmm", "sim" e "pois" que consigo sucessivamente emitir perante todo um discurso enfadonho e desinteressante... e o facto de simplesmente não ouvir uma única palavra a partir do momento em que concluo a presença dessas características.

    Quem me dera não ser tão exigente...

    terça-feira, 23 de junho de 2009

    Não há coincidências... ?

    video

    E tudo é aleatório e surge por obra do acaso...
    ... ou não... ?

    Será que existe uma força criadora de tudo o que conhecemos? Ou será que o universo é indiferente ao ponto das coisas se encaminharem num determinado sentido só porque sim? Será que somos nós que construimos ou forçamos esse caminho? Será que nos julgamos assim tão poderosos, ou será apenas um conjunto de vários factores que funciona como gatilho?

    Acreditam em coincidências?

    Há coisas realmente difíceis de explicar...

    P.S. Tudo isto começou comigo à procura do vídeo desta música... e curiosamente fui dar de caras com este, que assenta na perfeição numa conversa que tive ontem sobre a criação do Universo... Mais uma coincidência... :)

    sexta-feira, 12 de junho de 2009

    Viva o Sto António, viva o São João... Viva o 10 de Junho... bla bla bla

    Queria taaaaaaaaaaaaaaaaanto ir aos Santos... Por incrível que pareça, nunca fui pois nunca tive muita paciência nem achava a mínima piada à coisa (não gosto de sardinhas, não gosto de cerveja... e ajuntamentos só nos concertos!), mas hoje.... apetecia-me taaaaaaaaaaaaaaaaanto!!!

    Sim... se calhar é só por já não sair de casa há dias e precisar de ver gente urgentemente antes que a minha sanidade mental se esgote! Aliás... este post demonstra um pouco esse meu desespero... é que não tenho nada para dizer... além de.... queria taaaaaaaaaaaaaaaaaaaanto ir aos Santos!!!!!!!!!...

    domingo, 31 de maio de 2009

    Quanto mais me bates...

    Acabei de ver uma reportagem sobre a violência no namoro, e é mais uma daquelas coisas que quem está de fora não consegue entender. Como é que é possível existirem pessoas obcecadas e possessivas ao ponto de destruirem por completo a vida de alguém que "supostamente" amam. E pior. Como é que é possível que alguém se deixe submeter a tais tratos. Pessoas que acreditam que "ciúme" é sinónimo de "amor". Pessoas que confundem "doença psiquiátrica" com "insegurança" e por isso a desvalorizam. Pessoas que desculpabilizam tudo porque acham que a culpa afinal é delas e por isso merecem ser castigadas. Pessoas que simplesmente negam as evidências.

    Para quem se deixa envolver nesse ciclo vicioso, e mesmo depois de perceber que é uma viagem só de ida em direcção ao abismo, torna-se difícil conseguir sair dele. E muitas vezes, quando saem, já é tarde demais. As sequelas na vida pessoal, social e familiar podem ser demasiado graves. Já para não falar da dificuldade que muitas vezes têm em conseguir um afastamento por parte da outra pessoa, que, mantendo o seu delírio obsessivo, não permite que a outra seja feliz longe dela.

    E quem pensa que nestes casos o agressor é sempre o homem, engana-se. Cada vez mais as mulheres tomam essa posição, geralmente servindo-se da violência psicológica (que é tão má ou pior que a física). Conheci de perto 3 casos destes, e em todos eles as consequências foram semelhantes e devastadoras. Uma vida destruída, necessitando de muito tempo para se conseguir sequer pensar em reconstrui-la, e mais tempo ainda para o conseguir fazer.

    Espero que cada vez mais as pessoas ganhem coragem para denunciar e sair destas situações de domínio/submissão. É que, acima de tudo, contra factos não há argumentos, e agressão, seja ela de que tipo for, não é, definitivamente, sinónimo de amor.

    terça-feira, 26 de maio de 2009

    quarta-feira, 13 de maio de 2009

    Malas de gaja

    Ando há que tempos para comprar uma mala preta, básica, sem muitas cocozices mas que tenha o tamanho correspondente à minha definição de mala. Obviamente que nem tão cedo vou conseguir atingir esse objectivo. É que actualmente, a "moda" dita que as malas têm de ser verdadeiras malas de viagem, em que, com sorte, até cabe lá um mini bar não se vá dar o caso de ficar com fome enquanto estiver na rua.

    Uma coisa que me tira do sério é demorar mais de 2 segundos para conseguir encontrar o que quero dentro de uma mala. A escassez ou ausência de compartimentos interiores na maioria delas, é um factor de risco... mas o tamanho da mala aumenta exponencialmente o tempo de procura. Até já uso um daqueles bonequinhos de peluche como porta-chaves para ser mais fácil de encontrar... mas mesmo assim, às vezes é uma verdadeira odisseia... acreditem!

    Sempre fui apologista de usar o menor espaço e o menor número de volumes possível. Se as coisas cabem num único espaço pequeno, para quê usar dois espaços grandes? Quando vou de viagem consigo verdadeiros milagres, tipo Sport Billy. Levo tudo o que preciso apenas numa mala (e das pequenas, se possível), até porque, detesto andar carregada com malas e malinhas e simplesmente recuso-me a transportar coisas que à partida sei que são desnecessárias.

    Por isso, tenho um grave problema. É que estou-me nas tintas se a moda é usar malas grandes, quando essas malas não são minimamente funcionais. Para transportar aquilo que costumo levar diariamente numa mala, não preciso de uma mochila de campismo nem de um trolley! Eu só quero uma mala onde possa levar a carteira, os documentos, telemóvel, baton para o cieiro, chaves de casa, chaves do carro, um pacote de lenços e uma caixa de pastilhas, sem que sobre um espaço que dá para levar os meus 3 gatos! Será assim tão difícil?

    sábado, 2 de maio de 2009

    Casamentos

    Porque é que...

    1. há convidados que não conhecem minimamente os noivos mas estão lá porque parece mal se não receberem um convite?
    2. 50% das pessoas (e 99,9% das mulheres) estão demasiado preocupadas com o que os outros levam vestido e dizem a todos (incluindo à noiva) que estão muito bem (mas pensam o contrário)?
    3. há quem ache que vai para a cerimónia dos Óscares?
    4. há quem faça apostas sobre a data do divórcio?
    5. há sempre uma foto da noiva ao espelho?
    6. a noiva tem de se atrasar uma hora?
    7. o copo de água começa às 17h, mas o que eles querem mesmo é a mesa do marisco?
    8. é tão importante ver os noivos a beijarem-se a pedido?
    9. os animadores da festa parecem saidos dos "Malucos do riso" (mas causam o delírio e a gargalhada geral!)?
    10. é proibido passar música acima dos anos 80 (à excepção óbvia de todo o Pimba que surgiu depois disso)?
    11. com o que se gastou dava para passar umas férias brutais em Bora Bora, mas acabam por ir para as Berlengas porque já não têm "tempo"... e tudo em nome de um dia com os 10 pontos anteriores????????

    segunda-feira, 27 de abril de 2009

    Curiosidade... (e gatos)

    "Os gatos usam os bigodes como antenas, para determinar se um espaço é demasiado pequeno para que possam caber nele. Além disso, por não terem clavículas, os gatos conseguem atravessar qualquer espaço que tenha o tamanho suficiente para que a sua cabeça passe."

    Isto explica muita coisa... Mas... não me venham agora dizer que o Zizou, o meu pequeno Buda, consegue enfiar-se no móvel da televisão como fazem as meninas...

    ...Ok... consegue mesmo...

    (nem os bigodes cortados, mordidos com avidez pelas manas, conseguem deter o meu gordo...)

    segunda-feira, 20 de abril de 2009

    "A arte do crime"

    Voltei ao teatro. Já não ia há muito tempo e já tinha saudades. Gosto daquela sensação de ter personagens de carne e osso à minha frente... ouvi-las... ver os seus movimentos... as suas expressões... sem cortes ou planos que não me interessam. Tornam-se... palpáveis... reais.

    Sou fã da Companhia Teatral do Chiado já há muitos anos, e por isso, a expectativa era grande. E não me desiludi. Desta vez não foi uma comédia, mas um thriller com sentido de humor (muito à conta do grande Simão Rubim). Uma história interessante que nos consegue prender para tentar perceber o que vai sair dali. Apenas um cenário. Apenas 3 actores, todos eles excelentes. Já conhecia a Vanessa Agapito d'O mocho e a gatinha. Emanuel Arada foi uma surpresa, extraordinário no papel do Sr. Rocha. Tinha saudades de ver boas representações... bons actores... Muitos daqueles que se auto-intitulam como tal deviam dar uma vista de olhos para ver se aprendiam qualquer coisa.

    Absolutamente recomendado. E espero voltar em breve para (re)ver mais umas peças...

    quinta-feira, 16 de abril de 2009

    Porque parece bem...

    Desde sempre, e cada vez mais, há coisas que nos querem obrigar a fazer porque "parece bem". "Parece bem" ficar a fazer horas extraordinárias não pagas... o chefe vai gostar. "Parece bem" oferecermo-nos para algo que nos prejudica, mesmo que os frutos desses sacrifícios nunca cheguem a nascer.

    Pode ser difícil dizer "não", mas o limite entre a boa vontade e a estupidez às vezes é muito ténue, principalmente a partir do momento em que essa boa vontade passa a ser interpretada pelos outros como uma obrigação. Aí sim, as coisas agravam-se abruptamente. É que no momento em que nos negarmos a essa "obrigação" seremos crucificados e não, ninguém nos vai agradecer pelas vezes que nos sacrificámos. Torna-se num hábito. Os outros habituam-se a que sejamos "estúpidos". Tornamo-nos numa prostituta... não... correcção... isso implicaria um pagamento... o que nem sempre sucede, excepto nos casos em que é do interesse do próprio fazer certas coisas, rebaixar-se, dar graxa... Acho piada é quando esses morrem de inveja e querem "vingança" daqueles que não o fazem, e quando não entendem que nem toda a gente se interessa pelos mesmos objectivos. Quanto a mim, feliz ou infelizmente nunca gostei do "sabor das botas"... não hei-de ir longe se contar com esses estratagemas...

    Não sei se sou eu que ando com menos paciência, não sei se é a minha personalidade que está cada vez mais vincada, mas ando a dizer "não" muitas vezes. Talvez seja apenas o instinto de sobrevivência...

    sexta-feira, 3 de abril de 2009

    Just thoughts...

    Hoje apetece-me divagar. Talvez porque está um dia bonito e a minha vontade de "voar" seja maior que a vontade de ceder à "responsabilidade"... Talvez também porque o meu Zizou acabou de arranjar um belo lugar no meu colo para ronronar... o que me dá uma moleza ainda maior (e me impede, convenientemente, de conseguir continuar a sublinhar o livro...)

    Não tenho propriamente nenhum assunto específico do qual possa (ou queira) falar. Têm sido tempos ricos. Novas amizades, novas experiências, novos cenários, muitas descobertas. Realmente é verdade que se investirmos mais em nós, no nosso tempo, as coisas acabam por surgir. Já perdi muitas coisas por achar que as podia fazer depois... Muitas vezes caimos no erro de ordenarmos erradamente as prioridades.

    Mas a vida é mesmo assim. Uma aprendizagem contínua. Só se aprende com os erros. E só erra quem arrisca. Se o que se aprende é bom ou mau, se mudamos para melhor ou para pior, isso já é outra história... mas são daquelas coisas que só se sabem depois... É como um medicamento. Pode ser muito bom, mas provocar efeitos adversos diferentes em cada um que o toma. Aprender é sempre bom, ou a ignorância é uma benção? O conhecimento da verdade ou a ingenuidade "infantil"? Aventura... Se eu, como boa sagitariana que sou (sim, que os signos às vezes até acertam numas coisas), sempre gostei da aventura... porque é que, vendo bem, sempre me aventurei pouco? É como um jogo de futebol. Jogar à defesa tira a beleza do jogo... torna-o aborrecido. Quem não arrisca não petisca... e de facto... pouco tenho petiscado.

    Cada vez tenho mais consciência daquilo que sou, e gosto disso. Gosto de mim. Pode parecer narcisista, mas não é. Aliás, bem pelo contrário. E, por falar nisso, se aqui há dias descobri que sou como o vidro, hoje ainda tenho mais consciência disso. É que apesar de tudo o resto, afinal o vidro também se dobra... basta ser aquecido... (esta é uma private... ;P)

    Aqui fica mais um som de qualidade... só porque sim.

    video

    segunda-feira, 23 de março de 2009

    Dreaming...

    Hoje acordei... como direi... "flutuante".

    Realmente, os sonhos podem alterar o nosso estado de espírito. Já tive alguns que me cortaram a respiração, que me deixaram asfixiada, ansiosa, triste... Alguns parecem tão reais que acordo com o coração a saltar-me do peito. Também já me ajudaram em certas situações (como naquela em que sonhei com o que devia desenhar para um concurso... que por acaso acabei por ganhar... Pode ser que numa noite destas sonhe com os números do Euromilhões). Noutros momentos, porém, já me fizeram ver e sentir certas coisas de maneira diferente.

    O sonho desta noite foi daqueles em que tive pena de acordar... podia ficar ali presa no sonho só para ver o que ia acontecer a seguir... e sim, fez-me ver e sentir certas coisas de maneira diferente... :) Fiquei assim... meio atordoada... no bom sentido. Pode ser que um dia o sonho passe a realidade e...

    ... e não, não vos vou contar o que foi... :P