domingo, 26 de setembro de 2010

Julgamentos

Que as pessoas julgam as outras geralmente com base na simpatia aparente, já não é novidade. Mas não deixou de me surpreender o seguinte comentário do guia do Hospital de la Santa Creu i Sant Pau:

"Montaner era arquitecto, professor, e interessava-se pela comunidade, pois era político! Eu não gosto de Gaudí, pois ele tinha uma dedicação exclusiva ao seu trabalho". 

Bem... de facto o empenho no trabalho é algo asqueroso e completamente inútil. Bom bom, é ser político! Aliás... qualquer arquitecto que se preze, tem de ser, no mínimo, político, filósofo, talhante e cozinheiro!

Ironicamente, este senhor, todo o santo dia, ao sair do seu trabalho no Hospital (que não é nada especial, diga-se de passagem - o Photoshop faz milagres), dá de caras com a Sagrada Familia... Uuui!P.S: Ah! E a rua que liga o Hospital à "pequena" igreja, só se chama... Avenida Gaudí! De certeza que o guia não usa esse percurso no caminho de casa... lol

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Ideias iluminadas I

Começo logo por numerar o título deste post... É que algo me diz que vou ter de falar de muitas mais ideias iluminadas... e melhor, sem dificuldade nenhuma em encontra-las! Até dava para fazer um blog só com este tema!

Vou começar pela ideia iluminada nº1: Construção de lombas.

Ora bem, não há dúvida de que as lombas são um mecanismo de segurança (e de aumento das idas à oficina). Mas quando estas surgem como cogumelos em sítios desnecessários, fico a pensar... Aqui na minha zona, permanentemente em obras (em disputa renhida com a Sagrada Família, tendo a catedral um certo avanço...), conseguem surpreender-me a cada dia que passa. As lombas devem ter sido das primeiras coisas a ser construídas. Aliás, pela quantidade de betão que gastaram nalgumas delas (alturas e larguras dignas de Guiness), acredito mesmo que ficaram temporariamente sem material para a construção dos prédios. Não satisfeitos, e com a continuação das obras obrigando à circulação por um verdadeiro caminho de cabras, conseguiram arranjar mais um sítio para a construção de lombas daquelas fininhas que vêm aos trios. A altura é que era um bocadinho exagerada... ao ponto de, até para tais mentes iluminadas, conseguirem chegar à conclusão de que as tinham de alisar (ou corta-las a metade da altura, melhor dizendo)! Resolvido o primeiro problema permanece o segundo. Para que servem 3 lombas após uma estrada que começa com 10 metros de curva esburacada? Algum louco passará (ou tentará passar) por ali a mais de 10km/h? Há quem diga que se não estivessem ali, os que vêm em sentido contrário mudariam de faixa para evitar as lombas da faixa deles. De facto, era preferível entrar numa curva em contramão e levar com um autocarro de frente, do que passar por cima das malditas lombas... sem dúvida!

Quando eu estava quase a dar uma segunda oportunidade a acreditar que a estupidez humana tinha limites, descubro que Einstein tinha razão. Para que serve um trio de lombas em pleno cruzamento, numa estrada com prioridade, recta, e em que a faixa secundária tem um Stop???? Na prática deixou, portanto, de ter prioridade. É que os do Stop conseguem agora passar bem rapidinho à frente dos da estrada principal...

Depois dos radares (outra ideia iluminadíssima), ainda hei-de ver lombas na 2ª circular e no eixo NS. Ou quiçá na Vasco da Gama!

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Fábula

Há muitos anos, um tio meu contou-me a seguinte história em jeito de anedota:

Estavam dois padres sentados à mesa, prontos para jantar, quando lhes é servida uma travessa com dois bifes, um bem mais pequeno que o outro. Nisto, vira-se o padre mais velho e diz para o outro:

- Por favor irmão. É meu convidado. Faça o favor de se servir.

O outro padre não hesita e coloca o bife maior no seu prato. Reparando que o o outro ficou com uma expressão um tanto ou quanto escandalizada, pergunta-lhe o porquê.

- Irmão, apenas acho que seria de bom tom servir-se do bife mais pequeno!
- Hmmm. Então e se fosse você, qual escolheria?
- Meu irmão, o bife mais pequeno, pois claro!
- Então, pois aí o tem.


Não suporto aquelas pessoas pequeninas que se sujeitam a determinadas situações porque querem, mas que ficam fulas se os outros não fazem o mesmo. Se foi uma escolha delas, então porque criticam e invejam os que agem de modo diferente? Oh gentinha ressabiada!...

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Belle Chase Hotel

Decorria o mês de Novembro de 1999, quando um convite inesperado fez-me ir ver estes meninos à Aula Magna. Não conhecia grande coisa, e foi mais um daqueles concertos a que fui apenas por gosto. Surpreendentemente, digamos que foi o concerto mais... estranho... (chamemos-lhe assim) que vi até hoje. Isto porque parecia mais uma peça de teatro, vá, um musical, que outra coisa. Mas, por isso mesmo... adorei!

  video

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Puzzle

Sempre gostei muito de fazer puzzles, e 4 meses e meio depois de ter trazido este ali da casa Milà, aqui está a obra completa. Não demorou muito tempo a fazer, mas teve muitas interrupções pelo meio. E consegui evitar que o Zizou comesse alguma peça... ele bem que tentou, e eu quase no final já estava a ver que eram mais os espaços por preencher do que as peças restantes... 

Agora estou indecisa se emolduro ou se o desfaço e volto a pôr na caixa! :D

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Coração quente

Fez hoje uma semana que comi o meu 4º e último coração quente deste ano... :Q

Me gusta el corazon caliente con fresa... lolololo

domingo, 5 de setembro de 2010

80's

Não vou falar dos cabelos choque eléctrico, dos padrões de vestuário sui generis ou da extravagância que faz de Lady Gaga uma aprendiz de feiticeira. Vou apenas falar de música.

Eu que vivi os anos 80 desde o início e que, portanto, tenho muitas dessas músicas incluidas no meu imaginário, continuo sem perceber como é que os 80's estão sempre na moda. É in dizer que se gosta da música dos anos 80, é in ouvir a M80, é in ir para uma discoteca para dançar anos 80. Aqui, queiram-me desculpar, mas é que não percebo mesmo. Como é que se dança música dos anos 80? Eu sei como é... também já dancei... É quase como dançar o twist a bordo de uma nave espacial no ano de 3945. Só faltavam lá os meus pais, eufóricos ao som da "Final Countdown". Torna-se suportável apenas se brincarmos com as músicas e, claro, em boa companhia. Confesso que não são muitas as músicas dessa década que me arrepiam no bom sentido (porque no mau... ui!) e, adivinhem, nenhuma dessas é propriamente "dançável". 

Outra coisa que eu acho interessante é o facto de muitos fans desta onda musical nem terem estado grande tempo nos anos 80, ou pelo menos tempo útil (em que se lembrem de facto de ouvir música que não fosse de embalar). Se calhar é por isso mesmo... não têm a noção! (lol... sou tão má!). Esse tipo de revivalismo (no sentido de reviver algo que não se viveu) faz-me muita confusão. É que mesmo na minha geração, torna-se estranho perceber pois, se bem que há várias músicas dos anos 80 que me reportam a momentos específicos da minha vida de criança, eu só comecei a dar real importância e a apreciar e ter consciência da qualidade musical (ou falta dela) na minha adolescência, ou seja... nos 90! E, como tal, para mim os anos 90 sim, those were the days! Terei sempre um carinho especial pelo grunge, mas também houve o boom de outros novos estilos musicais, alguns evoluindo a partir dos anteriores. Nesse sentido, e já que há pouco falava em abanar o capacete, a dance music a partir de 90 está a anos luz (no bom sentido) dos 80's. Ok, os 80's foram o princípio. Tudo tem de evoluir a partir de algo, da mesma maneira que as cassetes deram origem aos Cd's!... Mas agora perguntem-me qual deles prefiro...

Bem sei que gostos não se discutem... e quem sou eu para ir contra 90% da população acima dos 20 anos? Tanta gente não pode estar errada!...

sábado, 4 de setembro de 2010