quarta-feira, 7 de março de 2012

Excepcionais

Acho uma piada extrema quando o Estado cria um regime de excepção para a TAP. De facto há muita gente excepcional por aí, e há que recompensar esse grupo. Deve ser porque trabalham por turnos, ou porque recebem subsídios por fazê-los, bem como subsídios por comerem, por se deslocarem para o trabalho, por existirem e, quiçá, também por respirarem. Ou então se calhar é porque as progressões de carreira são garantidas, bastando ficar sentado à secretária a jogar Farmville, e esperar que os anos passem. Ah, não, esperem, deve ser porque a companhia todos os anos dá milhões de prejuizo (ou não, dependendo de quem faz essas contas). Mas xiuu... sou eu que eu sou má lingua...

Batemos palmas e baixamos mais as calças, porque de facto há que enaltecer as empresas e funcionários que são, de facto, indispensáveis ao país. Vá no máximo dos máximos podemos mandar um ramo de cravos para cada um, numa manisfestação do mais puro revolucionarismo que caracteriza o povinho tuga. Cambada de mansos.

2 comentários:

maria disse...

Aiiiii! Esta doeu :p lol!
E o que custa andar com aqueles sapatos? E não pagam nem um subsidio para as dores dos pés! É injusto :P
Pois... tudo deveria ser mais claro e para todos. Se o país está mal, todos deveriam contribuir, não são só as empresas públicas.Penso que o correcto era cortarem a todos, públicos e privados. Pois os privados quando ficam à rasca .. é o Estado que paga, tipo BPN.
Ps: A CGD tb levou o mesmo tratamento
bjs

Ursinho de peluche disse...

LOLOL Gorda, gostei! Pimba! Só faço uma ressalva quanto às pessoas que trabalham por turnos... LOL :P