quinta-feira, 16 de abril de 2009

Porque parece bem...

Desde sempre, e cada vez mais, há coisas que nos querem obrigar a fazer porque "parece bem". "Parece bem" ficar a fazer horas extraordinárias não pagas... o chefe vai gostar. "Parece bem" oferecermo-nos para algo que nos prejudica, mesmo que os frutos desses sacrifícios nunca cheguem a nascer.

Pode ser difícil dizer "não", mas o limite entre a boa vontade e a estupidez às vezes é muito ténue, principalmente a partir do momento em que essa boa vontade passa a ser interpretada pelos outros como uma obrigação. Aí sim, as coisas agravam-se abruptamente. É que no momento em que nos negarmos a essa "obrigação" seremos crucificados e não, ninguém nos vai agradecer pelas vezes que nos sacrificámos. Torna-se num hábito. Os outros habituam-se a que sejamos "estúpidos". Tornamo-nos numa prostituta... não... correcção... isso implicaria um pagamento... o que nem sempre sucede, excepto nos casos em que é do interesse do próprio fazer certas coisas, rebaixar-se, dar graxa... Acho piada é quando esses morrem de inveja e querem "vingança" daqueles que não o fazem, e quando não entendem que nem toda a gente se interessa pelos mesmos objectivos. Quanto a mim, feliz ou infelizmente nunca gostei do "sabor das botas"... não hei-de ir longe se contar com esses estratagemas...

Não sei se sou eu que ando com menos paciência, não sei se é a minha personalidade que está cada vez mais vincada, mas ando a dizer "não" muitas vezes. Talvez seja apenas o instinto de sobrevivência...

3 comentários:

James disse...

Pois, é um mal da nossa sociedade fazer o que "parece bem" e de repente é uma "obrigação".

Acho que o principal culpado é a pessoa que não diz o "não" habituando assim os "calaceiros".

Também já aprendi a dizer "não"

Iris_Esfenoidal disse...

E fazes tu muito bem ;) Há coisas que se não formos nós a fazer por nós próprios ninguém fará! E no final... a vida são dois dias, sendo que um deles já passou ;)

Anónimo disse...

Essa coisa de me chamares prostituta sem me conheceres de lado nenhum não tem piada nenhuma! Quero que se lixe, agora vou até às Canárias, em trabalho (1 mês), e não recebo nem mais um tusto por isso(há malta estúpida).
Um beijo,
Alexandre