quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Considerações sobre o "gostar"



Não concordo com muitas das coisas que este senhor defende... mas aqui, ele acertou em cheio!

6 comentários:

Patrícia disse...

Epá, concordo em absoluto. (e um café, não?)
bjs

Vera disse...

Café parece-me muito bem. :) Que fazem na 6ª? Bj

Patrícia disse...

este fim de semana é tempo de ir para a santa terrinha :(. mas na próxima semana não te escapas.

Ursinho de peluche disse...

Não concordo com tudo o que o F.A escreveu, mas há coisas muito interessantes de constatar, como por exemplo: Quando se gosta de alguém - não necessariamente Amar, mas gostar -, não há nada que afaste uma possível presença. Temos muita tendência de relegar para segundo plano uma pessoa que gostamos só porque não nos apetece, estamos cansados, ou só porque sim. Não gosto nada de sentir isso nas pessoas, mas a vida é mesmo assim. Existem claras diferenças do gostar de amigo ou namorado, porém nenhuma dela passa por mais ou menos vontade de estar juntos. Mas esta minha maneira de pensar já me trouxe dissabores. Já agora a título de exemplo: Gostar de alguém é tomar a iniciativa em ver alguém com a casa inundada e sem quase perguntar aparecer para dar uma ajuda a desmontar móveis e transportar coisas para a sala. Isso sim, é gostar de alguém. É preocupar-nos. Tenho dito.

Vera disse...

Xiii... inundações? Desmontar móveis? Que pessoa azarada... :P

Ursinho de peluche disse...

Olha os deuses... não gozes...! :P