quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Pérolas da Função Pública - Parte III - "O regresso"

... E no dia seguinte a primeira coisa que fiz quando cheguei foi ir ao serviço de pessoal. Conclusão: disseram que pagavam o que a SS não pagará. Isto por si só, já é admitir que a culpa foi deles, no entanto, pasmem-se, tiveram a lata de dizer que a culpa foi minha porque eu é que tenho de saber que documentos é que devo entregar (o que até pode ser verdade), e que eles (a malta do "Expediente") NÃO são obrigados a verificar se os documentos que recebem são os correctos (!!!!), e como tal estavam a fazer-me um especial favor, mas que não se repita porque agora eu já sei como é (!!!). Estou a pensar seriamente em começar a escrever em papel higiénico e enviar para o expediente... porque eles aceitam tudo.... e pelo menos assim aproveitavam para limpar aqueles cérebros.... se os tivessem!

Pediram apenas para lhes entregar um comprovativo da SS de como o processo foi indiferido. (Estou tramada...)

Dias depois...

... lá arranjei um tempinho para ir à SS, depois de uma tentativa falhada (bati com o nariz na porta, pois ali só se trabalha até às 16h, apesar de no site dizer outra coisa...). Tiro a senha, e incrivelmente só tinha uma pessoa à minha frente. Olho para a "senhora" que me iria atender e, pelo tempo que demorava e pelo primor de educação com que falava com a pessoa que estava a ser atendida, vi logo que tive azar. Era só o que me faltava... mais uma atrasada mental! Meia hora depois, dão a noticia de que o sistema informático está parado, sem previsão de quando iria voltar a funcionar... Boa, não há mais nada que possa acontecer?

O sistema informático lá começou a funcionar, e lá foi chamado o nº 33. Esta, voltou passado 5 minutos, revoltada por, pelos vistos, não lhe terem resolvido nada (só não acerto no Euromilhões...). E a seguir lá vou eu para o atendimento mais surreal que eu já alguma vez tive...

- Boa tarde. Eu venho porque... (interrompida)
- Qual é o seu nº de beneficiário? (de trombas)
- É o xxxxxxxxxxxxxxxx
- Sim, e então? (de trombas)
- É que eu preciso de um comprovativo de como o processo relativo à minha baixa de Junho foi indiferido, para o apresentar no meu serviço.
- (a olhar para o computador) Então mas o processo foi indiferido! Mas oiça lá, a sua empresa não sabe há quanto tempo é que você faz descontos? Não me diga que não sabe! Está lá há 6 meses e não sabem?
- Mas... (Oh meu deus... quem é esta croma??? E que raio está ela a dizer??? Descontos?? 6 meses?? Será que vê coelhos??)
- É que a culpa é sempre da SS, nunca é das empresas!
- Mas posso explicar?
- (trombas)
- O que se passou foi que... (lá expliquei numa frase, antes que ela me interrompesse mais uma vez)
- Ah! Então foi diferido por causa dos prazos!
- (DUH!!!)
- Então e agora o que é que quer?
- Quero um comprovativo de como foi indiferido.
- Oiça lá, já recebeu em casa o oficio?
- Não, mas... (nova interrupção)
- Então tem de esperar!
- Mas disseram... (nova interrupção)
- Recebeu ou não recebeu?
- Não... mas... (nova interrupção)
- Então!
- Eu liguei para a SS e disseram-me que me podia dirigir aqui para que me dessem esse comprovativo!
- Então tem de escrever um pedido para seja feito o oficio.
- (tou lixada...) E posso fazer isso.... agora?
- É que a culpa é sempre da SS...
- Mas a culpa não foi da SS, foi deles!
- Então mas o que é que quer?
- Quero um documento vosso a dizer que o processo foi indiferido!
- (trombas). Vou-lhe imprimir isto e pôr um carimbo da SS. É isso que eles querem? Aceitam isto?
- (Eureka!!!) SIM!!!! É isso mesmo!!!
- É que a culpa é sempre da SS... mas as empresas muitas vezes é que são as culpadas. Mas a culpa é sempre da SS...

Fez um print screen de uma tabela muita ranhosa com as minhas 2 baixas, em que na linha da 1ª baixa dizia "Para diferi" (sim, o resto ficou cortado na impressão...) e carimbou. Fugi dali a sete pés, mas com a certeza de que não iriam aceitar aquilo como comprovativo, e que teria de esperar mil anos para receber o tal oficio pelo correio.

Enganei-me (pelo menos uma vez na vida surpreenderam-me pela positiva!). Aceitaram o comprovativo, e até gentilmente perguntaram se eu queria ficar com o original (pra recordação...).

Parece que em Dezembro vou receber a prenda de Natal... o meu ordenado de Junho!

2 comentários:

Patrícia disse...

Bem que grande filme!
Ainda bem que ficou tudo resolvido. Pelo menos nisso tiveste sorte. Sim, porque nestas coisas tem que se contar com a sorte e não com qualquer género de competência da parte de alguém.
Beijinhos

Alexis disse...

Bom guião. Eu que tu fazia uma curta...era gira...fartei-me de rir... hehehhe